sicnot

Perfil

Mundo

Autoridades italianas resgataram cerca de 1.500 imigrantes ilegais em menos de 24 horas

A marinha e a guarda costeira italiana resgataram cerca de 1.500 imigrantes clandestinos, em menos de 24 horas. Seguiam em cinco barcos, que foram resgatados no sul do Mediterrâneo, em operações distintas.

Pelo menos três embarcações estiveram em dificuldades e lançaram pedidos de ajuda através de telefones de satélite, ao largo da costa da Líbia.
Os imigrantes clandestinos foram transferidos para barcos italianos e encaminhados para a ilha de Lampedusa, ao largo da Sicília.

Só no ano passado, chegaram a Itália, de forma ilegal, cerca de 170 mil imigrantes clandestinos que arriscaram a vida numa perigosa viagem de barco, na maior parte dos casos organizada por grupos criminosos ligados ao tráfico humano. Mais de três mil pessoas acabaram por morrer.
  • Divorciados vão poder dividir filhos no IRS 

    Economia

    Os divorciados vão passar a poder dividir os filhos no IRS (imposto sobre o rendimento singular) e o Governo está a estudar soluções para que em 2018 haja um novo sistema para lidar com a guarda conjunta de filhos.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.