sicnot

Perfil

Mundo

Pelo menos 53 mortos nos últimos combates no sul do Iémen

Pelo menos 53 pessoas, incluindo 17 civis, morreram em menos de 24 horas em combates violentos em Aden, no sul do Iémen, entre rebeldes xiitas e apoiantes do chefe de Estado, disseram hoje fontes médica e militar.  

reuters

Os combates, que prosseguem, resultaram "na morte de 17 civis e de 10 combatentes dos 'comités populares' (partidários do Presidente Abd Rabbo Mansur Hadi)", desde domingo, declarou à agência noticiosa francesa AFP uma fonte médica. 

Por seu lado, uma fonte militar disse que morreram 26 rebeldes. 

Os rebeldes xiitas e aliados, militares fiéis ao antigo presidente Ali Abdallah Saleh, conseguiram, no início de março, avançar em direção a Aden. No domingo, tomaram a sede da administração provincial e aproximam-se de um porto. 

No ano passado, os rebeldes conquistaram a capital iemenita, Sanaa, além de vastas regiões do norte e do centro do país. 

O avanço dos rebeldes tem deparado com a resistência dos combatentes dos 'comités populares', abastecidos com armas e munições pela coligação internacional, liderada pela Arábia Saudita, que lançou, a 26 de março, uma operação militar contra estas milícias xiitas, apoiadas pelo Irão. 

  • Pagar IMI a prestações e um Documento Único Automóvel mais pequeno

    País

    O programa Simplex + 2017 é apresentado hoje à tarde e recebeu mais de 250 propostas de cidadãos ao longo dos últimos meses. As novas medidas preveem o pagamento em prestações do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) e a criação de um simulador de custos da Justiça, que devem estar em vigor no próximo ano.

  • Cinco anos depois do incêndio na Serra do Caldeirão
    5:24
  • Destaques económicos que marcaram a semana
    2:03

    Economia

    A semana ficou marcada pela tragédia provocada pelos incêndios no centro do país. No entanto importa olhar para o que se passou noutras áreas e fazer um resumo das notícias relacionadas com a economia. 

  • "Toda a gente merece direitos iguais"
    0:14

    Mundo

    A polícia de Istambul montou cordões de segurança para dispersar a multidão que se juntou para a Marcha do Orgulho Gay, este domingo. O Governo proibiu a marcha por considerar que representa um risco para a segurança pública. Uma das ativistas fala numa decisão sem sentido, e diz que todas as pessoas merecem direitos iguais.

  • "Ela veio lá de fora e começou a atropelar as pessoas"
    0:43

    Mundo

    O atropelamento deste sábado em Newcastle, no Reino Unido, provocou pelo menos seis feridos. No local, as pessoas relatam momentos de pânico. Uma testemunha afirma que a condutora nunca perdeu o controlo do carro e que dirigiu intencionalmente contra a multidão.