sicnot

Perfil

Mundo

Berlim considera "estúpidas" avaliações de Atenas sobre reparações de guerra

O ministro da Economia alemão, Sigmar Gabriel, considerou esta terça-feira "estúpidas" as recentes estimativas da Grécia sobre as reparações exigidas a Berlim pela ocupação do país durante a II Guerra Mundial e avaliadas em 278,7 mil milhões de euros.

"Honestamente, considero isso estúpido", declarou o ministro alemão da Economia, Sigmar Gabriel (à esquerda), também vice-chanceler social-democrata do Governo de coligação chefiado por Angela Merkel (ao centro).

"Honestamente, considero isso estúpido", declarou o ministro alemão da Economia, Sigmar Gabriel (à esquerda), também vice-chanceler social-democrata do Governo de coligação chefiado por Angela Merkel (ao centro).

BERND VON JUTRCZENKA / Lusa

"Honestamente, considero isso estúpido", declarou Gabriel, também vice-chanceler social-democrata do governo de coligação chefiado por Angela Merkel, em declarações no seu ministério.  

Segundo Sigmar Gabriel, o interesse da Grécia consiste em obter margem de manobra para resolver os problemas da dívida, mas esta "margem de manobra nada tem a ver com a II Guerra Mundial e o pagamento de reparações", insistiu. 

Um porta-voz do Ministério das Finanças germânico, citado pela agência noticiosa AFP, insistiu que "o assunto está encerrado, juridicamente e politicamente", reiterando a posição de Berlim e recusando comentar os novos cálculos emitidos por Atenas. 

Durante um debate no parlamento grego que decorreu sábado, o secretário de Estado do orçamento, Dimitris Mardas, indicou que os seus serviços tinham avaliado em 278,7 mil milhões de euros o montante das reparações de guerra devidas pela Alemanha à Grécia na sequência da ocupação do país entre 1941 e 1944. 

O debate sobre as reparações alemãs ressurgiu após o início da crise económica na Grécia e o governo de Alexs Tsipras, confrontado com grandes dificuldades de financiamento, reivindica o pagamento destas reparações. 

Segundo Mardas, o valor de 278,7 mil milhões de euros inclui um empréstimo forçado de 10,3 mil milhões de euros, exigido pelos ocupantes ao Banco da Grécia, e ainda os prejuízos sobre "os particulares e as infraestruturas" do país. 

Um relatório oficial grego tinha previamente estimado em 162 mil milhões de euros o valor destas reparações. 

Para Berlim, e em termos oficiais, a questão das reparações e das indemnizações de guerra foi definitivamente resolvido através dos tratados internacionais, mas diversos responsáveis são menos categóricos. 

Em meados de março, o secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros alemão, Michale Roth, também do Partido social-democrata (SPD), admitiu o aumento da contribuição alemã para um fundo germano-grego, sugerindo assim a possibilidade de algumas compensações mas sem fornecer números. 

Diversos setores da oposição alemã também defendem há várias semanas uma atitude mais favorável face à Grécia e na segunda-feira Bernd Riexinger, presidente do partido da esquerda radical Die Linke, defendeu em declarações à AFP que o empréstimo forçado imposto pela Alemanha nazi "deveria ser reembolsado". 

"O Governo alemão faria melhor em cooperar" com Atenas "e encetar a via do diálogo, da compreensão e do direito", acrescentou, antes de admitir que o tema das reparações de guerra era "desconfortável". 
Lusa
  • Prisão preventiva para homicida de Barcelos
    1:43

    País

    O alegado homicida de Barcelos vai ficar em prisão preventiva, por quatro crimes de homicídio. Adelino Briote foi ouvido este sábado de manhã no Tribunal de Braga, depois de na sexta-feira ter alegadamente degolado quatro pessoas na freguesia de Tamel, em Barcelos.

  • Homem suspeito de matar a mulher em Esmoriz

    País

    Um homem é suspeito de ter esfaqueado este sábado mortalmente a mulher em Esmoriz, concelho de Ovar, num contexto de violência doméstica, disse à agência Lusa fonte da Guarda Nacional Republicana (GNR).

  • Morte de portuguesa no Luxemburgo afinal não aconteceu

    País

    A morte de uma portuguesa em Bettembourg, no sul do Luxemburgo, não terá acontecido. O Jornal do Luxemburgo avançou, esta manhã, que a emigrante portuguesa tinha sido baleada mortamente pelo filho, uma informação entretanto desmentida por outro jornal online. Segundo o Bom Dia Luxemburgo, o que aconteceu foi afinal uma rusga policial.

  • Estamos quase na hora de verão

    País

    Esta madrugada muda a hora. Quando for 1h00, os relógios adiantam para as 2h00. Será uma noite com menos tempo de sono, mas os dias vão ficar mais longos com o chamado horário de verão.

  • Hora do Planeta, apagam-se as luzes para despertar consciências
    2:19
  • Milhares nas cerimónias fúnebres de dirigente do Hamas

    Mundo

    Milhares de palestinianos participaram nas cerimónias fúnebres de um dirigente do Hamas, assassinado esta sexta-feira, na Faixa de Gaza. Vários homens armados acompanharam o cortejo fúnebre até à mesquita, onde se fizeram as últimas orações.