sicnot

Perfil

Mundo

Combates no Iémen fizeram 540 mortos e 1.700 feridos desde março

Os combates das últimas semanas no Iémen fizeram pelo menos 540 mortos e 1.700 feridos, informou hoje a Organização Mundial de Saúde, enquanto a Cruz Vermelha alertou para uma situação humanitária "muito crítica" no país.

reuters

Os números da OMS são relativos ao período entre 19 de março e 06 de abril, precisou um porta-voz da organização, Christian Lindmeier, numa conferência de imprensa em Genebra.

Por outro lado, "pelo menos 74 crianças foram mortas e 44 feridas desde 26 de março", segundo um porta-voz do Fundo da ONU para a Infância (UNICEF), Christophe Boulierac, acrescentando que um milhão de crianças não pode ir à escola devido ao conflito.

Pessoal da UNICEF está no terreno para tentar determinar as circunstâncias dessas mortes, prosseguiu o porta-voz, afirmando que o número avançado diz respeito a "vítimas diretas de armas" e vítimas de "consequências indiretas do conflito", como a falta de água potável e material médico.

O conflito no Iémen acentuou-se em fevereiro com a tomada da capital, Sanaa, pelas milícias xiitas huthis, aliadas do ex-presidente Ali Abdallah Saleh e apoiadas pelo Irão, a consequente fuga do Presidente, Abd Rabbo Mansur Hadi, para a segunda cidade do país, Aden, e, perante o avanço dos rebeldes, para a Arábia Saudita. 

O avanço dos rebeldes tem enfrentado a resistência dos combatentes dos comités populares leais ao atual Presidente e, desde 26 de março, de uma coligação de países árabes liderada pela Arábia Saudita. 

Segundo uma porta-voz da Cruz Vermelha em Sanaa, Marie-Claire Feghali, a situação humanitária no país é "muito crítica" e, em Aden, onde se registam violentos combates todos os dias, "catastrófica".

O país, explicou a porta-voz, "importa 90% dos produtos alimentares" e, com o conflito, as ligações aéreas e marítimas foram cortadas e as infraestruturas estão fortemente danificadas.

"O mínimo que podemos dizer é que a situação é catastrófica" em Aden, onde "a guerra se instalou em todos os cantos da cidade", "falta comida, água e eletricidade" e cujos 800 mil habitantes "não conseguem sequer fugir".

"Os cadáveres ficam por vezes abandonados nas ruas, ninguém se aventura a ir retirá-los", disse.

Lusa

  • "Já só lhes resta uma coisa: bisbilhotar comunicações privadas"
    2:57

    Caso CGD

    O primeiro-ministro diz que o PSD atingiu o grau zero da política, quando chegou à "bisbilhotice" de querer ver as mensagens trocadas entre o ministro das Finanças e António Domingues. A polémica da Caixa Geral de Depósitos voltou a marcar o debate quinzenal, com António Costa a garantir que nunca esteve em causa a entrega de declarações da administração. Já o PSD e o CDS a acusaram o Governo de violar as regras da transparência e de oprimir os direitos da oposição.

  • Compensa comprar a granel?
    8:39
  • Técnica de defesa contra aperto de mão de Donald Trump
    1:39
  • Vídeo mostra aterragem de Harrison Ford que quase causou um desastre

    Mundo

    Harrison Ford quase provocou um grave acidente quando, ao pilotar um dos seus aviões, falhou a pista de aterragem e esteve muito perto de chocar contra um um Boeing 737, com mais de 100 pessoas a bordo. O incidente com o ator norte-americano, considerado um piloto experiente, aconteceu na passada segunda-feira, dia 13, no Condado de Orange, na Califórnia, e o momento foi captado em vídeo.

  • Descoberta nova espécie de primatas em Angola

    Mundo

    Uma equipa britânica de cientistas descobriu uma nova espécie de galagos anões, um primata pertencente à família dos galonídeos - comum na África subsariana -, na floresta ameaçada da Kumbira, localizada na província do Cuanza Sul, noroeste de Angola.

  • Vestidos da princesa Diana em exposição
    1:29

    Mundo

    As roupas mais emblemáticas da princesa Diana vão estar em exposição no Palácio de Kensington, em Londres, a partir de sexta-feira. O objetivo é mostrar a evolução do estilo da princesa de Gales, considerada um dos maiores ícones de moda de sempre.