sicnot

Perfil

Mundo

Estímulo de hormona permite regeneração de músculos do coração

Um grupo de cientistas conseguiu reativar o crescimento das células musculares do coração de um rato através do estímulo de uma hormona, abrindo a possibilidade para novos tratamentos contra ataques cardíacos, segundo um estudo divulgado hoje.

Um molde de um coração humano. (AP)

Um molde de um coração humano. (AP)

CHITOSE SUZUKI

"O que a equipa de investigação conseguiu fazer foi aumentar o número de células musculares cardíacas em até 45% depois de um ataque do coração", realçou Richard Harvey, da Universidade de Nova Gales do Sul e do Instituto de Investigação Cardíaca Victor Chang de Austrália.

Para o especialista, trata-se de um importante passo para reparar corações danificados, já que as suas células não se regeneram "ao contrário das do sangue, cabelo ou da pele", refere um comunicado da universidade.

"A divisão celular no coração praticamente estagna pouco depois do nascimento, o que significa que não pode regenerar-se completamente se se danificar ao longo da vida", explicou o mesmo responsável, acrescentando que estudos anteriores mostram que se podem regenerar estas células, mas a níveis mínimos.

No âmbito desta investigação, os cientistas centraram-se no sistema de sinalizações do coração -- onde intervém a hormona neuroregulina, cuja via foi modificada e quando estimulada durante um ataque cardíaco contribuiu para a substituição dos músculos afetados, segundo o comunicado citado pela agência Efe.

"Esta conquista fará com que a atenção se dirija para o campo da restauração das células dos músculos do coração como uma opção terapêutica para as doenças cardiovasculares isquémicas", enfatizou o chefe deste estudo do Instituto de Ciência Weizmann (Israel), em colaboração com o Instituto Victor Chang, publicado na revista Nature Cell Biology.

  • Chamas no concelho de Torre de Moncorvo ameaçaram aldeia
    1:30

    País

    Dois incêndios no concelho de Torre de Moncorvo deram luta aos bombeiros na tarde de ontem e também durante toda a noite. As chamas estiveram muito próximas da aldeia de Cabanas de Cima, mas os bombeiros conseguiram desviar o fogo.

  • Se

    Se Jaime Marta Soares tiver razão, se a ciência e as autoridades não forem - outra vez? - manipuladas pelo poder político, se a investigação - independente - concluir que o fogo começou muito antes da trovoada, então, estamos diante de um dos maiores embustes do Portugal democrático.

    Pedro Cruz

  • A reconstrução da Nacional 236
    1:44
  • Harry admite que ninguém na família real britânica quer ser rei ou rainha

    Mundo

    O príncipe Harry admitiu que nenhum dos mais jovens membros da família real britânica quer ser rei ou rainha. Numa entrevista exclusiva à revista norte-americana Newsweek, na qual aborda temas como a morte da mãe, que perdeu com apenas 12 anos, Harry afirma que ele e o irmão estão empenhados em "modernizar a monarquia".

    SIC