sicnot

Perfil

Mundo

Mulher transgénero presa nos EUA denuncia agressões, abusos sexuais e tratamento desigual

Os serviços prisionais do estado norte-americano da Georgia foram alvo de uma denúncia por causa das condições da detenção de uma mulher transgénero.

Ashley Diamond foi detida há três anos e, desde então, cumpre pena nas alas masculinas de várias prisões, onde tem sido vítima de agressões e abusos sexuais. (Arquivo)

Ashley Diamond foi detida há três anos e, desde então, cumpre pena nas alas masculinas de várias prisões, onde tem sido vítima de agressões e abusos sexuais. (Arquivo)

© Reuters Photographer / Reuter

Ashley Diamond foi detida há três anos e, desde então, cumpre pena nas alas masculinas de várias prisões, onde tem sido vítima de agressões e abusos sexuais.

A prisioneira alega também que tem sido impedida de receber a medicação hormonal que tomava há 17 anos.

Por causa das denúncias das agressões, Ashley Diamond já foi transferida de prisão e passou vários períodos na solitária. 

A queixa já recebeu o apoio do departamento de Justiça dos Estados Unidos.
  • Brinquedos tecnológicos para oferecer no Natal
    5:33
  • Aniversário de Marcelo passado nas comemorações dos 700 anos da Marinha
    1:45

    País

    O Presidente da República defende que é preciso continuar a investir na Armada, nas pessoas, nas capacidades e no apoio de retaguarda. No dia em que fez 69 anos, Marcelo Rebelo de Sousa esteve nas comemorações dos 700 da Marinha, onde sublinhou os sete séculos de conquistas e de combates navais.

  • Rui Rio comprometeu-se a realizar apenas dois debates
    0:45

    País

    Rui Rio disse esta terça-feira que foi apanhado de surpresa com a mudança de posição de Pedro Santana Lopes, que exige três debates entre os dois candidatos à liderança do PSD nos canais generalistas. Rui Rio reiterou ainda que se comprometeu a fazer apenas dois debates.

  • Costa anuncia reunião sobre neutralidade carbónica em fevereiro
    2:03

    País

    O Presidente francês defende que é preciso ir mais longe e mais rápido na luta contra as alteração climáticas, numa resposta à decisão de Donald Trump de retirar os EUA do Acordo de Paris. Em fevereiro, será a vez de Portugal organizar uma reunião sobre energia e transportes.