sicnot

Perfil

Mundo

Quatro soldados tunisinos mortos e seis feridos em emboscada

Quatro soldados tunisinos morreram e seis ficaram feridos, esta terça-feira, numa emboscada na região de Kasserine, uma zona de atividade de 'jihadistas' no centro-oeste do país, anunciou a televisão tunisina, citando o ministério da Defesa.

o ataque ocorreu na zona da cidade de Sbeitla e perto do monte Mhgilla. Vários 'media' tunisinos indicaram, sem citar fontes, que os militares foram atingidos por uma granada de morteiro. (Arquivo)

o ataque ocorreu na zona da cidade de Sbeitla e perto do monte Mhgilla. Vários 'media' tunisinos indicaram, sem citar fontes, que os militares foram atingidos por uma granada de morteiro. (Arquivo)

© Anis Mili / Reuters

"Quatro soldados morreram como mártires e seis ficaram feridos numa emboscada contra uma patrulha militar em Sbeitla, de acordo com o porta-voz do ministério da Defesa", anunciaram as cadeias estatais de televisão Wataniya 1 e 2. 

Um balanço anterior referia a existência de três mortos e seis feridos. 

A agência noticiosa francesa AFP tentou contactar, sem êxito, o ministério da Defesa e nenhuma informação foi dado sobre as circunstâncias da emboscada. 

Uma fonte militar disse à AFP que o ataque ocorreu na zona da cidade de Sbeitla e perto do monte Mhgilla. Vários 'media' tunisinos indicaram, sem citar fontes, que os militares foram atingidos por uma granada de morteiro. 

A região de Kasserine, junto à fronteira com a Argélia, é palco de confrontos armados regulares entre 'jihadistas' e forças tunisinas. 

Desde dezembro de 2012, cerca de 60 polícias, guardas e soldados morreram em emboscadas ou em explosões de minas. A maioria morreu naquela região. 

Em julho passado, 14 soldados morreram numa emboscada no monte Chaambi, um maciço na fronteira com a Argélia, considerado a principal base recuada dos rebeldes 'jihadistas'. 

O grupo armado ativo na zona é a Falange Okba ibn Nafaa, ligado à Al-Qaida. De acordo com as autoridades, este movimento foi responsável pelo ataque contra o museu do Bardo, a 18 de março, em Tunes. Mas foi um outro grupo, ligado ao movimento extremista 'Estado Islâmico' (EI), que reivindicou o atentado. 

No final do mês passado, a Tunísia anunciou ter matado o argelino Abu Sakhr, o homem que considerava o chefe do Okba ibn Nafaa e organizador do ataque ao Bardo, no qual morreram 21 turistas estrangeiros e um polícia tunisino. 

A Tunísia depara-se, desde a revolução de 2011, com o desenvolvimento de grupos 'jihadistas' armados cada vez mais violentos. 

Cerca de três mil tunisinos saíram do país para combater nas fileiras de grupos radicais na Síria e no Iraque. Perto de 500 destes combatentes regressaram à Tunísia, sendo considerados pelas autoridades uma das principais ameaças à segurança do país. 

Três semanas depois do atentado ao museu do Bardo, a França prometeu "uma cooperação exemplar" em matéria de segurança, económica e cultural, com a jovem democracia tunisina. 

A promessa foi feita pelo presidente françês, François Hollande, durante a visita do homólogo tunisino, Béji Caid Essebsi, que começou hoje. 

"Os nossos dois países estão lado a lado para responder aos desafios", afirmou Hollande, durante uma conferência de imprensa comum. 

Hollande limitou-se a falar em "trocas de informações", no reforço da cooperação para garantir a segurança da fronteira tunisina, vizinha da Líbia, prometendo que a França seria "o embaixador da Tunísia na Europa" para mobilizar o apoio da UE.

Primeiro presidente eleito democraticamente, Essebsi lembrou que a Tunísia, pioneira das "primaveras árabes", era um país "em vias de democratização". 

A França é o primeiro parceiro comercial da Tunísia e o primeiro investidor estrangeiro. Cerca de 1.300 empresas francesas, que empregam mais de 125 mil pessoas, estão a operar na Tunísia.
Lusa
  • Morto líder do principal grupo jihadista tunisino

    Mundo

    O líder do principal grupo 'jihadista' tunisino, Abu Sakhr Lokmane, acusado de ter executado o ataque de 18 de março contra o Museu do Bardo, foi morto no sábado por forças tunisinas, anunciou o primeiro-ministro da Tunísia, Habib Essid.

  • Marcha contra o terrorismo na Tunísia junta milhares de pessoas
    2:33

    Mundo

    Milhares de pessoas participaram este domingo, na capital da Tunísia, numa marcha contra o terrorismo. A manifestação realizou-se uma semana depois do ataque ao museu do Bardo, que provocou 24 mortos, 21 dos quais eram turistas estrangeiros. Vários líderes internacionais estiveram na marcha, horas depois do Governo ter anunciado a morte do principal responsável pelo atentado.

  • "A Minha Outra Pátria": o drama da Venezuela no Jornal da Noite
    2:12

    Reportagem Especial

    Quase cinco mil emigrantes regressaram à Madeira nos últimos meses por causa da crise económica, social e política na Venezuela. Os pedidos de ajuda ao Governo Regional dispararam. Muitos luso-venezuelanos voltaram às origens com pouco mais do que a roupa do corpo. "A Minha Outra Pátria", Reportagem Especial de hoje.

  • Milhares de clientes da CGD vão pagar quase 5€/ mês por comissões de conta
    1:24
  • Como fugir às comissões bancárias
    7:24

    Contas Poupança

    Há muitos casos em que ter uma conta no banco está a dar prejuízo. Os juros são tão baixos e as comissões de manutenção de conta são tão altas que há portugueses que todos os meses perdem dinheiro apenas porque têm dinheiro no banco. O Contas Poupança foi à procura de alternativas.

  • Governo reconhece seca severa no continente desde 30 de junho

    País

    O Governo reconheceu, hoje, a existência de uma situação de seca severa no território continental, desde 30 de junho, que consubstancia um fenómeno climático adverso, com repercussões negativas na atividade agrícola, em despacho publicado hoje em Diário da República.

  • Produtores de maçã de Armamar dizem não ter recebido resposta do Ministério
    2:14

    País

    Os produtores de maçã de Armamar estão preocupados. Parte da produção foi destruída pelo mau tempo. Contudo, duas semanas depois, ainda não há resposta do Ministério da Agricultura aos pedidos de ajuda. Mais de 60 produtores com 800 hectares foram afetados e as árvores atingidas pelo granizo podem não conseguir produzir no próximo ano.

  • Bebé Charlie Grad já não vai receber tratamento nos EUA

    Mundo

    A mãe de Charlie Grad disse esta segunda-feira que o bebé poderia ter vivido uma vida normal, caso tivesse começado a receber tratamento cedo. Já o pai admitiu que o filho não iria viver até ao primeiro aniversário. O bebé foi diagnosticado com uma doença rara e um hospital em Inglaterra pediu permissão para desligar a ventilação artificial e fornecer-lhe cuidados paliativos. O Tribunal Europeu dos Direitos Humanos aceitou e, até hoje, os pais travaram uma batalha na Justiça para suspender a decisão na esperança de irem tratar o filho nos Estados Unidos da América.

  • Número de mortos em atentado em Cabul sobe para 31

    Mundo

    O número de mortos no atentado com um carro armadilhado atribuído aos talibãs, esta segunda-feira de manhã em Cabul, subiu para 31, aos quais se somam cerca de 40 feridos, de acordo com um novo balanço das autoridades.

  • Pelo menos cinco feridos em ataque na cidade suíça de Schaffhausen

    Mundo

    Pelo menos cinco pessoas ficaram hoje feridas na sequência de um ataque, na cidade suíça de Schaffhausen. De acordo com as autoridades, as vítimas foram atacadas por um homem armado com uma motosserra, que está a ser procurado pela polícia. As autoridades descartaram a hipótese de "ato terrorista".

  • Oposição pressiona Maduro com anúncio de manifestações e greve geral
    1:34