sicnot

Perfil

Mundo

Quinze mortos em confrontos entre polícias e membros de grupo criminoso no México

Pelo menos 15 pessoas morreram, esta segunda-feira, na sequência de confrontos entre polícias e presumíveis membros de um grupo criminoso no estado mexicano de Jalisco, informaram fontes oficiais.

Apesar de não terem indicado quantas baixas foram registadas de cada um dos lados, fontes oficiais declararam à agência Efe que os confrontos, que ocorreram na estrada Mascota-Las Palmas, estalaram depois de um grupo armado, ligado ao crime organizado, ter aberto fogo contra uma escolta em trânsito rumo à Zona Metropolitana de Guadalajara.

Apesar de não terem indicado quantas baixas foram registadas de cada um dos lados, fontes oficiais declararam à agência Efe que os confrontos, que ocorreram na estrada Mascota-Las Palmas, estalaram depois de um grupo armado, ligado ao crime organizado, ter aberto fogo contra uma escolta em trânsito rumo à Zona Metropolitana de Guadalajara.

Lusa

Apesar de não terem indicado quantas baixas foram registadas de cada um dos lados, fontes oficiais declararam à agência Efe que os confrontos, que ocorreram na estrada Mascota-Las Palmas, estalaram depois de um grupo armado, ligado ao crime organizado, ter aberto fogo contra uma escolta em trânsito rumo à Zona Metropolitana de Guadalajara.

O estado mexicano de Jalisco, que tem Guadalajara, uma cidade com 4,5 milhões de habitantes, como sua capital, é uma zona de intensa atividade dos cartéis de traficantes de droga.

Segundo informações divulgadas pelos meios de comunicação locais - ainda não confirmadas - entre as vítimas mortais dos confrontos figura o diretor da polícia municipal de Zacoalco.

As mesmas fontes citadas pela Efe indicaram que a procuradoria considera que o ataque pode ser uma reação à investigação e prisão de presumíveis implicados no atentado contra o comissário da Segurança de Jalisco, Alejandro Solorio, ocorrido a 30 de março.
Lusa
  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Dijsselbloem não comenta hipótese de ser substituído por Mário Centeno
    2:41

    Mundo

    Jeroen Dijsselbloem diz que cabe ao Governo português avançar com o nome de Mário Centeno para a presidência do Eurogrupo, mas não comenta a sondagem que foi feita ao ministro das Finanças português. Ouvido esta quinta-feira no Parlamento Europeu, o Presidente do Eurogrupo esteve no centro das críticas e reafirmou que não se demite.