Mundo

Demitido polícia branco que matou homem negro nos Estados Unidos

O polícia branco detido e acusado pela morte de um homem negro em North Charleston, Carolina do Sul, foi demitido da polícia, anunciou esta quarta-feira o presidente da câmara desta cidade do sudeste norte-americano.

O polícia, Michael Thomas Slager, disparou oito vezes no sábado sobre Walter Scott, 50 anos, enquanto este se afastava a correr e de costas voltadas para o agente e após ter sido detido num controlo rodoviário, indicam as imagens vídeo difundidas pelo New York Times e enviadas por uma testemunha.

O polícia, Michael Thomas Slager, disparou oito vezes no sábado sobre Walter Scott, 50 anos, enquanto este se afastava a correr e de costas voltadas para o agente e após ter sido detido num controlo rodoviário, indicam as imagens vídeo difundidas pelo New York Times e enviadas por uma testemunha.

© Handout . / Reuters

"Quero dizer-vos que o polícia foi demitido", indicou Keith Summey durante uma conferência de imprensa interrompida diversas vezes por algumas pessoas que gritavam "sem justiça não há paz". "Não caucionamos o que está mal, pouco importa quem" é o autor, prosseguiu o edil. 

O polícia, Michael Thomas Slager, disparou oito vezes no sábado sobre Walter Scott, 50 anos, enquanto este se afastava a correr e de costas voltadas para o agente e após ter sido detido num controlo rodoviário, indicam as imagens vídeo difundidas pelo New York Times e enviadas por uma testemunha. 

O polícia, que arrisca a pena de morte ou 30 anos de prisão, disse antes da divulgação das imagens que Walter Scott o agrediu e se apoderou da sua arma de eletrochoque ('taser'). 

Summey precisou que observou o vídeo pela primeira vez na terça-feira. "Fiquei doente com o que vi", explicou. 

Indicou ainda que o chefe da polícia da cidade não estava em condições para se pronunciar sobre o incidente porque o inquérito foi confiado à polícia do estado, a "South Carolina Law Enforcement Division" (SLED).

O presidente da câmara revelou ainda que edilidade recebeu um subsídio para adquirir uma centena de câmaras individuais destinadas a equipar os polícias uniformizados. 

"É uma tragédia horrível" para a família da vítima e para a do polícia, cuja mulher está grávida de oito meses, acrescentou Summey. 
Lusa
  • Polícia norte-americano acusado de homicio pode enfrentar prisão perpétua
    1:58

    Mundo

    Um polícia foi acusado de homicídio pela morte de um afro-americano de 50 anos em Charleston, na Carolina do Sul. A acusação acontece horas depois das autoridades terem recebido um vídeo com o tiroteio. As imagens mostram o agente de 33 anos a disparar sobre o homem aparentemente desarmado. O agente pode enfrentar uma pena de prisão de 30 anos, ou mesmo prisão perpétua. As imagens podem chocar as pessoas mais sensíveis.

  • "Bebemos a água que escorria das rochas"

    Mundo

    Os 12 rapazes e o treinador que ficaram presos numa gruta na Tailândia durante 18 dias revelaram hoje alguns pormenores de como sobreviveram, na primeira conferência de imprensa.

  • Ora Eça!

    Opinião

    Eça, o meu conterrâneo que se definia como sendo "apenas um pobre homem da Póvoa de Varzim" não haveria de gostar de nada que fosse obrigatório. Durante décadas, Os Maias lá estiveram, quem sabe numa progressista lista pós-revolução, dada a natureza "sexual e incestuosa" da obra. Sai dessa lista agora. Claro que sai. "Ninguém" gostava de "ter de" ler Os Maias.

    Pedro Cruz

  • "Os Maias" deixam de ser leitura obrigatória no secundário

    País

    Obras como "Os Maias" e "A Ilustre Casa de Ramires", de Eça de Queirós, vão deixar de ser de leitura obrigatória no ensino secundário a partir do próximo ano letivo. Os alunos deixam de ter indicação de uma obra específica para ler, passando o professor a escolher livremente uma obra de cada autor. O objetivo é fazer face aos programas extensos.

  • Marcelo assinala "passos importantes" na Cimeira da CPLP
    2:16