sicnot

Perfil

Mundo

Marine Le Pen critica o pai e assegura que se vai opor a que seja candidato

A líder da Frente Nacional francesa (extrema-direita), Marine Le Pen, criticou hoje fortemente o pai, fundador do partido, por declarações antissemitas e assegurou que se vai opor a que seja candidato nas próximas eleições. 

© Robert Pratta / Reuters

"Jean-Marie Le Pen parece ter entrado numa verdadeira espiral de terra queimada e suicídio político. Tendo em conta esta situação, informei Jean-Marie Le Pen que me oporei" à sua candidatura às eleições regionais de dezembro, afirmou Marine Le Pen em comunicado.

Numa entrevista ao semanário de extrema-direita Rivarol publicada na terça-feira, Jean-Marie Le Pen, presidente honorário da FN e eurodeputado, defendeu a memória do marechal Philippe Pétain, que liderou o regime colaboracionista com a Alemanha nazi.

Além disso, na semana passada, reiterou declarações pelas quais chegou a ser condenado pela justiça francesa de que as câmaras de gás dos campos de concentração nazis são "um pormenor" da II Guerra Mundial.

Marine Le Pen disse que a situação lhe causa "tristeza profunda", mas que vai convocar uma reunião da direção do partido para "discutir com ele como proteger os interesses políticos da Frente Nacional".

"O estatuto de presidente honorário não lhe permite sequestrar a Frente Nacional com provocações grosseiras cujo único objetivo é prejudicar-me e que, lamentavelmente, atingem todo o movimento, os seus dirigentes, candidatos, militantes e eleitores", disse Marine Le Pen.

Outros dirigentes do partido criticaram o fundador.

"A rutura política com Jean-Marie Le Pen é total e definitiva", escreveu o vice-presidente da FN Florian Philippot na sua conta no Twitter.

O também vice-presidente da FN e companheiro de Marine Le Pen, Louis Aliot, considerou por seu turno que "os desacordos políticos" com Jean-Marie Le Pen são "irreconciliáveis".

Desde que assumiu a liderança do partido, em 2011, Marine Le Pen afastou-se da linha mais radical seguida pelo pai numa tentativa de aumentar a influência do partido entre os eleitores.

Sob a sua liderança, a FN foi o partido mais votado nas eleições europeias de 2014 e obteve um quarto dos votos nas eleições locais de março de 2015.



Lusa
  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.