sicnot

Perfil

Mundo

Obama mais popular em Cuba do que Fidel e Raul Castro

O Presidente norte-americano, Barack Obama, é mais popular em Cuba do que o seu homólogo cubano, Raul Castro, e o seu irmão Fidel Castro, revela uma sondagem norte-americana divulgada esta quarta-feira e realizada em segredo naquela ilha. 

Arquivo

Arquivo

© Kai Pfaffenbach / Reuters

Segundo a sondagem, 80% dos entrevistados afirmaram ter uma opinião favorável em relação a Barack Obama e apenas 17% referiram ter uma "má imagem" do Presidente norte-americano.

No que se refere ao chefe de Estado cubano, Raul Castro, 47% dos inquiridos deu uma classificação positiva e 48% teve uma opinião negativa.

Fidel Castro, antigo Presidente de Cuba, recolheu 44% de votos a favor e 50% de opinião negativas.

No quadro da aproximação histórica entre Washington e Havana, Barack Obama e Raul Castro deverão ter um encontro esta semana durante a Cimeira das Américas, que vai decorrer no Panamá.

Cerca de 97% dos inquiridos acredita que o processo de normalização das relações entre os dois países, iniciada em dezembro, vai beneficiar Cuba, revelou também a pesquisa realizada para a Univision e para o Washington Post.

A sondagem, que foi realizada em março junto de 1200 pessoas, refere também que 96% dos cubanos desejam ver terminado o embargo comercial dos Estados Unidos contra Cuba. 

Lusa
  • Portugueses querem contratar Obama

    Mundo

    Contratar Barack Obama. Pode parecer uma tarefa impossível, mas para a startup portuguesa Swonkie a única resposta a este desafio é "Yes We Can", mote da campanha presidencial de Obama de há nove anos.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.