sicnot

Perfil

Mundo

Apenas um terço dos países atingiu objetivos de educação fixados há 15 anos

Apenas um terço dos 164 países que há 15 anos lançaram a iniciativa Educação para Todos atingiram os objetivos fixados, revela o relatório anual da UNESCO divulgado hoje.

Arquivo

Arquivo

© Eric Gaillard / Reuters

A divulgação do relatório de acompanhamento da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) ocorre um mês antes da realização do Fórum Mundial da Educação em Incheon (Coreia do Sul).

Países europeus, mas também o Quirguistão, a Mongólia e Cuba encontram-se entre o terço bem-sucedido, enquanto vários países da África subsaariana, o Paquistão ou o Iémen ficaram longe dos objetivos.

O objetivo orientador de fornecer educação primária universal foi atingido por 52% dos países, enquanto 10% estão perto de o conseguir, 29% estão longe e 9% muito longe, precisa a UNESCO.

Um terço das crianças que não vão à escola vivem em zonas de conflito, fenómeno que se agravou desde 2000 e ao qual as raparigas são particularmente vulneráveis. Na Síria, alguns temem que a crise resulte numa "geração perdida". 

Em 15 anos, "o mundo fez progressos significativos", assinalou a diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova, citada no comunicado de divulgação do relatório.

Mas, segundo a responsável, os governos devem "dar prioridade aos mais pobres, especialmente às raparigas".

As crianças mais pobres do mundo têm uma probabilidade de ir à escola quatro vezes inferior à das crianças mais ricas, refere o relatório.

Cerca de 58 milhões de crianças estão fora da escola em todo o mundo e 100 milhões não conseguem completar o ensino primário. 

A paridade de género melhorou ao nível do primário e do secundário, mas a educação das raparigas é frequentemente travada por "casamentos precoces e gravidezes", adianta o relatório.

O objetivo de diminuir em 50% o número de adultos analfabetos só foi atingido por um quarto dos países, enquanto 19% ficaram próximos. As mulheres representam dois terços dos 781 milhões de adultos analfabetos.

Assinalando que o financiamento continua a ser o principal obstáculo à expansão da educação, a UNESCO diz serem necessários mais 20 mil milhões de euros por ano para atingir os objetivos da educação para todos até 2030.

O relatório recomenda que os governos consagrem 15 a 20% dos orçamentos nacionais à educação e que os doadores multipliquem a sua ajuda por quatro.

Lusa

  • Reclusos que fugiram de Caxias tiveram cúmplices
    1:59

    País

    Uma falha de Portugal poderá explicar a libertação de um dos dois chilenos que fugiram de Caxias e foram apanhados em Espanha. As autoridades portuguesas atrasaram-se a enviar o mandado de detenção e a polícia espanhola libertou o fugitivo. Na investigação da fuga, acredita-se que os 3 reclusos tiveram cúmplices e a namorada de um deles já foi interrogada.

  • Jovem indiano acorda a caminho do próprio funeral

    Mundo

    Um jovem indiano chocou os seus parente e amigos, depois de acordar no caminho para o seu próprio funeral. No mês antes, Kumar Marewad foi levado para o hospital após ser mordido por um cão de rua, ficando em estado grave.

  • Bilhete de desculpas valeu uma bolsa de estudo

    Mundo

    Um jovem chinês ganhou uma bolsa de estudos no valor de 10 mil yuan (cerca de 1.380 euros), depois de danificar acidentalmente um carro de luxo. Isto, porque após os estragos, o jovem deixou um bilhete de desculpas ao dono, assim como todo o dinheiro que tinha com ele, como compensação.