sicnot

Perfil

Mundo

Estudo revela que pessoas baixas têm maior probabilidade de doenças cardíacas

As pessoas baixas enfrentam um maior risco de vir a ter artérias obstruídas, segundo um estudo divulgado hoje, que confirmou a relação entre altura e doença cardíaca através de análises genéticas.

© Yorgos Karahalis / Reuters

O estudo, liderado por investigadores da Universidade de Leicester e publicado hoje no Jornal de Medicina de New England, é o primeiro a demonstrar que o risco é maior devido a uma variedade de genes que influenciam se uma pessoa é alta ou baixa e não fatores como pobreza ou má nutrição

Os investigadores examinaram 180 variações genéticas de uma base de dados de quase 200 mil pessoas com e sem doença cardíaca coronária, causada por acumulação de placas nas artérias e que pode provocar ataque cardíaco.

É a causa mais comum de morte prematura no mundo.

Os investigadores descobriram que cada 6,3 centímetros na altura de uma pessoa afetam o seu risco de doença cardíaca coronária em 13,5%.

Por exemplo, uma pessoa com um 1,50 metros tem mais 32% de probabilidades de desenvolver uma doença cardíaca do que uma pessoa com 1,68 metros, refere o estudo.

Os investigadores esperam que o estudo mais aprofundado dos genes relacionados com a altura e as doenças cardíacas possa levar a uma melhor prevenção e tratamento no futuro.


Lusa

  • "Vai ser uma batalha forte e dura"
    2:51
  • A tática dos 3 Rs de Carlos Queiroz
    1:58
  • "Isto é a demagogia à solta"
    0:45

    Opinião

    Quem o diz é Luís Marques Mendes a propósito da aprovação esta semana da lei do CDS-PP que elimina o adicional do imposto sobre os combustíveis. O comentador da SIC critica a oposição por ter levado a votação uma lei inconstitucional e acusa ainda os parceiros de Governo de deslealdade. 

    Luís Marques Mendes

  • Comandante da Proteção Civil confiante nos meios de combate aos incêndios
    1:56

    País

    Depois das falhas apontadas ao sistema de comunicações SIRESP durante os incêndios do ano passado, o cComandante operacional da Proteção Civil diz que não há meios de comunicação infalíveis. Duarte Costa acredita que este verão será mais calmo do que anterior e contabiliza já mais de 2000 incêndios desde maio que não foram notícia.

  • Líderes europeus assinalam progressos para alcançar acordo sobre migrações
    2:02