sicnot

Perfil

Mundo

Príncipe da Bélgica compara família à ex-polícia política da Alemanha Oriental

O príncipe Laurent, irmão mais novo do rei Filipe, lançou esta quinta-feira uma crítica mordaz contra os últimos soberanos belgas e as suas comitivas, que comparou à Stasi, antiga polícia política da Alemanha Oriental. 

O príncipe Laurent, acompanhado da princesa Claire.

O príncipe Laurent, acompanhado da princesa Claire.

© Francois Lenoir / Reuters

Numa entrevista à televisão pública RTBF, o príncipe Laurent acusou ainda a família de "sabotar" as suas atividades profissionais.

"A minha família nunca me apoiou. Tudo começou com o meu tio, o rei Balduíno. Em seguida, com o meu pai, Alberto II. Foi como a Stasi", disse. 

"Hoje, tenho a impressão de que isto vai continuar com o meu irmão, o Rei Filipe. O seu erro foi ter aceitado uma comitiva que me quer prejudicar e impedir de trabalhar", acrescentou, segundo o texto da entrevista por telefone transmitida pelo canal.

O príncipe Laurent, de 51 anos, sempre teve dificuldade em encontrar o seu lugar na família real, na qual foi, desde a sua juventude, considerado o "enfant terrible", em parte por causa dos seus muitos excessos de velocidade e declarações iconoclastas. 

Casado e pai de três filhos, Laurent tentou desenvolver atividades no domínio da proteção do ambiente e bem-estar animal, as suas duas paixões, mas projetos ambientais relacionados com um dos filhos do líder líbio Muammar Kadhafi ou na República Democrática do Congo, antiga colónia belga, levados a cabo sem aval do governo, valeram-lhe sérias advertências.

A Fundação para o Desenvolvimento Sustentável, que o príncipe criou há 10 anos, está agora a enfrentar dificuldades financeiras e Laurent acusa a família, numa outra entrevista, publicada hoje pelo jornal La Libre Belgique, de continuar a colocar "pedras na engrenagem", depois de ter "sabotado o seu trabalho ao longo dos anos".
Lusa
  • "Não podemos fazer de Lisboa uma cidade para turistas"
    2:44

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite da SIC, o mandato de Fernando Medina na Câmara de Lisboa. O comentador da SIC defendeu que o autarca tem "muitos problemas por resolver" e que a Câmara tem investido "mais na recuperação de zonas em que os lisboetas praticamente não conseguem ir". Sousa Tavares disse ainda que Lisboa não pode ser uma cidade para turistas.

    Miguel Sousa Tavares

  • "Putin é uma ameaça maior do que o Daesh"
    0:24

    Mundo

    O senador norte-americano John McCain atacou Vladimir Putin dizendo que é uma ameaça maior do que o Daesh. O antigo candidato à Casa Branca acusa a Rússia de querer destruir a democracia ao tentar manipular o resultado das presidenciais dos Estados Unidos.

  • "É muito importante ceder à tentação de se abolir a liberdade"
    1:06