sicnot

Perfil

Mundo

Croata recupera carteira perdida com dinheiro e documentos 14 anos depois

Um croata recebeu recentemente uma encomenda postal que o deixou surpreendido, uma vez que continha uma carteira que o homem tinha perdido há 14 anos mas também os respetivos documentos intactos e uma quantia inesperada em dinheiro.

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

REUTERS

"Não acredito no que aconteceu desde que recebi a encomenda há alguns dias. Pensei que se tratava de uma partida", contou o cinquentenário Ivica Jerkovic, residente em Donja Moticina (leste da Croácia), em declarações ao diário 24 Sata.

O homem perdeu a carteira no mesmo dia em que foi ao banco levantar dinheiro para pagar umas obras em casa. Nesse mesmo dia, Jerkovic esteve com um grupo de amigos numa festa e levou um amigo que adoeceu às urgências.

Passados 14 anos, a encomenda agora recebida por Ivica Jerkovic tinha a carteira, todos os documentos intactos e 1.500 francos suíços (cerca de 1.440 euros), um montante superior aos 440 euros (na época 2.000 marcos alemães) que estavam no interior da carteira na altura do incidente.

O remetente da encomenda postal era anónimo.

"Não podia imaginar um melhor presente de Páscoa. Se comparar este montante com os 2.000 marcos alemães, o remetente enviou-me a quantia, mas também os juros destes 14 anos", afirmou.

Segundo Ivica Jerkovic, quem encontrou a carteira na época teria graves problemas financeiros.

"Suponho que o dinheiro terá salvado essa pessoa, (...) fez depois os cálculos sobre os anos que passaram para me devolver a quantia justa", disse ainda o cinquentenário croata.

Lusa

  • "Este é o elefante na sala sobre a saúde!"
    1:43

    País

    Catarina Martins acusa o Governo de estar alinhado com a direita na promoção de negócios privados na área da saúde. O Bloco de Esquerda quer uma nova lei de bases aprovada até ao final da legislatura e arrancou ontem com um ciclo nacional de sessões públicas para defender o Serviço Nacional de Saúde.

  • Marido de idosa que morreu na Sertã teve de caminhar durante duas horas para pedir ajuda
    1:44

    País

    A Altice garantiu esta sexta-feira que tentou agendar, por duas vezes, a reposição da linha telefónica na casa da idosa da Sertã, que morreu na semana passada por não ter comunicações que permitissem um socorro rápido. A mulher sentiu-se mal e o marido teve de caminhar durante duas horas para conseguir chegar à casa do vizinho mais próximo e pedir ajuda.

  • "No meu bairro perguntam-me se a medalha é de ouro e dizem que ma vão roubar e vender"
    4:46
  • Como é que alguém (Rúben Semedo) com tanto pode perder tudo?
    3:05