sicnot

Perfil

Mundo

Apoio de Obama a Hillary Clinton "não é automático"

O Presidente norte-americano, Barack Obama, não apoiará automaticamente a nomeação de Hillary Clinton como candidata presidencial do Partido Democrata, indicou hoje a Casa Branca, acrescentando que Obama esperará pelas primárias antes de apoiar formalmente um candidato.

© Kevin Lamarque / Reuters

Mantendo a tradição de os Presidentes em funções não intervirem publicamente na seleção do nomeado seguinte do seu partido, a Casa Branca disse que Obama vai esperar até depois das primárias democratas para dar a conhecer a sua opinião.

Inquirido sobre se Obama iria automaticamente apoiar a sua ex-secretária de Estado, o porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest, respondeu "Não, o Presidente ainda não deu qualquer apoio, neste momento", apesar de ter proferido no sábado um discurso bastante elogioso sobre Hillary.

Durante uma visita ao Panamá, Obama descreveu Clinton como "uma excelente candidata", "uma grande apoiante", "uma extraordinária secretária de Estado" e uma amiga.

"Acho que ela seria uma excelente Presidente", acrescentou.

Para a maioria das pessoas, tais comentários soaram como um apoio declarado.

Mas a Casa Branca e o Partido Democrata esforçar-se-ão por obter o máximo de rendimento do apoio de Obama quanto possível.

Os apoios oficiais desempenham um papel fundamental na política eleitoral norte-americana, com candidatos a desviarem-se dos respetivos caminhos para cortejar potenciais apoiantes com promessas de cargos aliciantes, se necessário.

Sem mais eleições para disputar, Obama poderá simplesmente procurar garantias de que Clinton irá salvaguardar aspetos cruciais do seu legado.

"Há outras pessoas que são amigas do Presidente que poderão, a dada altura, decidir entrar na corrida", argumentou Earnest.

Assim que "os votantes de todo o país tiverem decidido quais deverão ser os nomeados Democratas, penso que o candidato Democrata pode ficar confiante de que terá o apoio do Presidente Obama e contará com a sua presença na campanha", disse o porta-voz.






Lusa
  • Cinco anos depois do incêndio na Serra do Caldeirão
    5:24
  • Destaques económicos que marcaram a semana
    2:03

    Economia

    A semana ficou marcada pela tragédia provocada pelos incêndios no centro do país. No entanto importa olhar para o que se passou noutras áreas e fazer um resumo das notícias relacionadas com a economia. 

  • Quer conhecer os cães mais feios do mundo?
    1:15

    Mundo

    Na Califórnia, nos Estados Unidos, já foi eleito o cão mais feio do mundo de 2017, num concurso que se repete há 29 anos. Com 57 quilos, Martha recebeu a distinção enquanto ressonava no palco.