sicnot

Perfil

Mundo

Malala pede mais esforço internacional para libertar estudantes na Nigéria

A Nobel da Paz Malala Yousafzai acusou hoje os governantes nigerianos e comunidade internacional de não fazerem o suficiente para que as 219 raparigas, mantidas em cativeiro pelo grupo Boko Haram, sejam libertadas.

© POOL New / Reuters

"Na minha opinião, os líderes nigerianos e a comunidade internacional não têm feito o suficiente para conseguir a vossa liberdade", escreveu a ativista numa carta dirigida às adolescentes, na véspera de se assinalar um ano sobre o seu rapto.

"Eles devem fazer muito mais para vos conseguirem libertar. Eu estou entre as pessoas que os estão a pressionar para que assegurem a vossa libertação," acrescentou, chamando as raparigas de "minhas corajosas irmãs", segundo a Agência France Press. 

A carta escrita por Malala, constitui "uma mensagem de solidariedade, amor e esperança" e faz parte de um conjunto de eventos, incluindo manifestações, orações e vigílias - que pretendem marcar esta efeméride. 

Na noite de 14 de abril do ano passado, o grupo radical Boko Haram raptou 276 adolescentes de uma escola da localidade de Chibok, no Estado de Borno, no nordeste da Nigéria.

 Do grupo 57 conseguiram fugir, quanto às restantes não se conhece o paradeiro, tendo sido vistas pela última vez num vídeo divulgado pelo Boko Haram em maio.

O líder do Boko Haram, Abubakar Shekau, afirmou que todas as adolescentes foram convertidas ao islão e obrigadas a casar.

Malala criticou o ex-Presidente da Nigéria Goodluck Jonathan por não ter feito o suficiente para libertar as raparigas raptadas.

No entando, elogiou o Presidente recém-eleito, Muhammadu Buhari, por ter prometido fazer do resgate das adolescentes uma prioridade e não tolerar mais violência contra as mulheres e adolescentes. 

Na carta, Malala, de 17 anos, contou ainda a sua experiência nas mãos dos talibans no Paquistão, que pela sus insistência no direito das raparigas à educação.

Lusa

  • A morte das sondagens foi ligeiramente exagerada

    Um atentado sem efeitos eleitorais, sondagens que acertaram em praticamente tudo, inexistência do chamado eleitorado envergonhado. E um candidato que se situa no centro político com fortíssimas hipóteses de vencer a segunda volta. As presidenciais francesas tiveram uma chuva de acontecimentos anormais, mas acabam por ser um choque de normalidade. Pelo menos até agora...

    Ricardo Costa

  • "O FC Porto não merece ser campeão"
    2:23
    Play-Off

    Play-Off

    DOMINGO 22:00

    O empate do FC Porto com o Feirense foi o principal assunto do Play-Off da SIC Notícias, este domingo. Rodolfo Reis mostrou-se insatisfeito com a atitude dos jogadores do FC Porto.

  • Défice recua em 2016 na zona euro e na UE

    Economia

    O défice e a dívida baixaram na zona euro e na União Europeia (UE) em 2016 face a 2015, tendo Portugal registado a terceira maior dívida (130,4%) entre os Estados-membros e um défice de 2%, segundo o Eurostat.

  • Incêndio na Amadora deixa 12 pessoas desalojadas
    1:59

    País

    Um incêndio destruiu este domingo a cobertura de um prédio de habitação na Buraca, no concelho da Amadora. Doze pessoas ficaram desalojadas, mas ninguém ficou ferido. Os bombeiros dominaram o fogo em cerca de uma hora, os moradores queixam-se da falta de eficácia no combate às chamas.

  • Uma volta a Portugal. De bicicleta mas sem licra

    País

    Um grupo de professores propõe-se a repetir o percurso da 1.ª Volta a Portugal em Bicicleta, 90 anos depois. Não se trata de uma corrida, pelo contrário querem provar que qualquer um o pode fazer e promover o uso da bicicleta como meio de transporte pessoal. “Dar a volta” parte para a estrada esta quarta-feira, de Lisboa a Setúbal, tal como em 26 de abril de 1927.

    Ricardo Rosa