sicnot

Perfil

Mundo

Pelo menos 23 pessoas morreram nos incêndios no sul da Sibéria

Pelo menos 23 pessoas morreram por causa dos incêndios que deflagram no domingo na República de Jakasia, no sul da Sibéria, e que resultaram de queimadas agrícolas, indicaram hoje as autoridades locais.

© Ilya Naymushin / Reuters

"Até ao momento, contabilizámos 23 mortos", disse o porta-voz do Comité de Instrução da Rússia, Vladimir Markin, anunciando ainda que as autoridades já iniciaram um processo-crime por negligência relacionada com a segurança contra os incêndios.

Segundo as autoridades de saúde locais, meio milhar de pessoas foram socorridas por terem queimaduras leves ou falta de ar e, das 77 pessoas hospitalizadas, oito têm prognóstico grave.

O Ministério do Interior russo esclareceu hoje que os incêndios, que foram extintos hoje de manhã na quase totalidade, destruíram 1.500 casas.

Os incêndios atingiram 40 localidades, tendo afetado 5.000 habitantes, incluindo um milhar de crianças, que ficaram sem casas.

Também morreram devido ao fogo ou por asfixia 4.000 cabeças de gado, na sua maioria ovelhas e vacas.

Os fortes ventos fizeram com que as chamas se propagassem mais facilmente, segundo as autoridades, fator que dificultou a ação dos bombeiros.

O ministro da Emergência da Rússia, Vladímir Puchkov, decretou no domingo um regime especial contra incêndios em todas as regiões da Sibéria.

"Temos de por em prática um controlo muito apertado que proíba as queimadas agrícolas indiscriminadas", advertiu aquele responsável.







Lusa
  • Mais de 50 detidos pela GNR em 12 horas

    País

    A GNR fez 51 detenções entre as 20:00 de sábado e as 08:00 de hoje, 39 das quais por condução sob efeito do álcool ou sem carta, e três por violência doméstica, segundo um comunicado hoje divulgado.

  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
  • Trump diz que Obamacare vai "colapsar"

    Mundo

    O Presidente norte-americano tentou desvalorizar a derrota política sofrida na sexta-feira no Congresso, ao desistir da revogação da lei de saúde pública do seu antecessor, conhecida como Obamacare, afirmando que esta vai colapsar por si mesma.