sicnot

Perfil

Mundo

Uma dezena de feridos em manifestações da oposição na Guiné-Conacri

Uma dezena de pessoas foram hoje feridas em Conacri em confrontos entre manifestantes e polícias, menos de duas semanas após o apelo da oposição para trazer para a rua o combate contra o Presidente Alpha Condé.

Arquivo (2013)

Arquivo (2013)

© Stringer . / Reuters

Três jovens manifestantes foram feridos a tiro pelas forças da ordem no bairro de Hamdallaye, segundo um médico da clínica Jean Paul II. 

Quatro outros manifestantes foram feridos no bairro de Simbaya, disseram à Agência France Presse (AFP) testemunhas e um polícia.

Segundo aquele agente e o Governo, dois militantes da oposição foram detidos.

Segundo o correspondente da AFP, o tiroteio continuava ao início da tarde e jovens partidários da oposição continuavam nas ruas.

A oposição da Guiné-Conacri apelou para manifestações hoje na capital contra a insegurança, cuja responsabilidade atribui ao Governo, após a agressão do seu porta-voz a 4 de abril, e contra a alteração do calendário eleitoral.

As eleições locais foram novamente adiadas, para março de 2016, depois das presidenciais, marcadas para outubro de 2015. Não se realizam eleições locais desde 2005.

O líder da oposição, o ex-primeiro-ministro Cellou Dalein Diallo, criticou hoje uma "repressão selvagem, como é habitual", enquanto o Governo, em comunicado, falava de "uma vontade real de semear a desordem e a violência".

Diallo felicitou os partidários da oposição por terem desafiado a proibição de manifestação, declarando à AFP que as marchas continuarão na terça-feira e até que sejam ouvidos pelo poder.

Lusa

  • Os momentos que marcaram o 7.º dia de Mundial
    1:08
  • "Ronaldos nascem na Rússia como cogumelos"
    1:49
  • Os momentos descontraídos dos jogadores
    1:54
  • Ronaldo no País dos Sovietes: O humor russo
    1:32
  • Schulz responde a Trump: "é um especialista em estatísticas criminais"

    Mundo

    "Donald Trump é um especialista em estatísticas criminais: pagamentos a estrelas porno, contactos ilegais com russos e diretores de campanha presos". Foi assim que o deputado alemão Martin Schulz respondeu ao Presidente norte-americano, depois de este ter afirmado várias vezes que a criminalidade na Alemanha aumentou devido à imigração.

    SIC

  • "Vou pedir a alguém que dê esta notícia por mim". Jornalista emociona-se com o caso dos bebés mexicanos separados das famílias
    0:49