sicnot

Perfil

Mundo

Organização Save the Children fala em 400 imigrantes mortos em naufrágio no Mediterrâneo

Pelo menos 400 imigrantes terão morrido num naufrágio no Mediterrâneo. O alerta foi dado pela organização não-governamental Save the Children, depois de terem sido entrevistados sobreviventes. Entre as vitimas estarão vários jovens e menores.

A notícia surge no mesmo dia em que a Comissão Europeia anunciou que as autoridades italianas resgataram, desde sexta-feira, mais de 7 mil imigrantes e recuperaram 11 cadáveres. (Arquivo)

A notícia surge no mesmo dia em que a Comissão Europeia anunciou que as autoridades italianas resgataram, desde sexta-feira, mais de 7 mil imigrantes e recuperaram 11 cadáveres. (Arquivo)

© Antonio Parrinello / Reuters

A embarcação tinha saído da Líbia e afundou-se quando tentava chegar a Itália. Cerca de 150 sobreviventes deste naufrágio foram resgatados.

A notícia surge no mesmo dia em que a Comissão Europeia anunciou que as autoridades italianas resgataram, desde sexta-feira, mais de 7 mil imigrantes e recuperaram 11 cadáveres.
  • Luís Pina indiciado por quatro crimes de tentativa de homicídio
    2:24
  • Ministro "mais descansado" com relatório sobre Almaraz, ambientalistas contestam
    2:01

    País

    O ministro do Ambiente diz estar mais descansado depois de conhecer o relatório técnico que considera o armazém de resíduos nucleares em Almaraz uma solução adequada. Já as associações ambientalistas e os partidos criticam o parecer positivo à construção e querem ouvir os ministros do Ambiente e dos Negócios Estrangeiros no Parlamento.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52
  • Líderes europeus unidos para iniciar saída do Reino Unido
    2:08
  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, faz este sábado, 100 dias. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.