sicnot

Perfil

Mundo

Construção civil lidera acidentes de trabalho em Angola

O setor da construção civil em Angola liderou os acidentes de trabalho no país durante o primeiro trimestre de 2015, com dois casos por dia e um total de sete mortes, segundo dados divulgados pelas autoridades angolanas. 

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© SIPHIWE SIBEKO / Reuters

De acordo com informação da Inspeção Geral do Trabalho, no primeiro trimestre do ano registaram-se em Angola 503 acidentes de trabalho (participados), em vários setores, dos quais 132 foram considerados graves e sete resultaram na morte dos trabalhadores.

 

Só o setor da construção civil, no qual se verificaram todas as mortes contabilizadas por aquela inspeção, registou neste período 172 acidentes, o que representou praticamente dois casos por dia, sendo 47 graves.

 

A Inspeção Geral do Trabalho estima que os acidentes de trabalho registados entre janeiro e março provocaram mais de 6.300 dias de atividade perdidos e indemnizações na ordem dos 1,7 milhões de kwanzas (cerca de 15.000 euros).

 

Ainda no primeiro trimestre de 2015, no âmbito das 1.304 inspeções realizadas, aquela entidade detetou 6.877 infrações, envolvendo 51.077 trabalhadores em áreas como comércio, indústria, construção civil, hotelaria e turismo, entre outros.


Lusa

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.