sicnot

Perfil

Mundo

Cuba considera "justa" intenção de Obama de excluir a ilha da lista de terrorismo

O Governo cubano considerou hoje "justa" a intenção do Presidente norte-americano, Barack Obama, de retirar a ilha da lista norte-americana dos países que apoiam o terrorismo, anunciou o Ministério dos Negócios Estrangeiros.

reuters

"O nosso país foi vítima de centenas de atos terroristas, que custaram a vida a 3.478 pessoas e incapacitaram 2.099 cidadãos cubanos", refere uma declaração oficial lida na televisão estatal e subscrita pela diretora geral para os Estados Unidos do Ministério dos Negócios Estrangeiros cubano, Josefina Vidal. 

Nessa declaração, Cuba rejeita e condena "todos os atos de terrorismo em todas as suas formas e manifestações, assim como qualquer ação que tenha por objetivo instigar, apoiar, financiar ou encobrir atos terroristas". 

Obama informou na terça-feira o Congresso norte-americano da sua intenção de retirar Cuba dessa lista, na qual Havana consta desde 1982 e que supõe a imposição de sanções. 

A decisão ocorre apenas três dias depois da histórica reunião que Obama e o seu homólogo de Cuba, Raúl Castro, celebraram no Panamá na Cimeira das Américas.

O Congresso dos Estados Unidos tem agora 45 dias para estudar a decisão de Obama e, em caso de desacordo, pode apresentar um projeto de lei para a revogar. 

Cuba rejeitou sempre a sua inclusão na lista de Estados patrocinadores do terrorismo por considerá-la injusta e injustificada, e o seu pedido de retirada da mesma foi um dos temas que esteve em cima da mesa nas rondas de negociação mantidas até à data entre Havana e Washington e que condicionou a abertura de embaixadas. 

Deste modo, a saída da ilha desta lista poderia abrir caminho para restaurar as relações diplomáticas dos dois países, que não têm relações diplomáticas há mais de meio século. 

No caso de entrar em vigor, a retirada de Cuba da lista representa a eliminação e uma série de sanções, como a proibição da venda de armas, de ajuda económica e de transações financeiras. 

A decisão também ajudará a desbloquear a situação da Secção de Interesses de Havana em Washington, que há mais de um ano não dispõe de serviços bancários nos Estados Unidos devido às sanções que pesam sobre a ilha, afetando o seu funcionamento. 

Os republicanos, que dominam as duas câmaras do Congresso, já exprimiram a sua oposição ao desanuviamento com o regime da ilha. 

Cuba foi colocada na lista, que inclui Síria, Sudão e Irão, em 1982, por acolher militantes separatistas bascos da ETA e guerrilheiros colombianos das FARC. 

A Casa Branca adiantou que as agências governamentais, incluindo os serviços de informações, concluíram que Cuba deveria ser retirada da lista.

"As circunstâncias mudaram desde 1982. O nosso hemisfério e o mundo estão muito diferentes do que há 33 anos", declarou o secretário de Estado, John Kerry, em comunicado.

EUA e Cuba romperam relações diplomáticas em 1961, o ano em Barack Obama nasceu
  • Cardeal George Pell acusado de abuso sexual de menores na Austrália

    Mundo

    O cardeal George Pell, que dirige a Secretaria da Economia do Vaticano, foi hoje acusado de crimes de abuso sexual de menores na Austrália e intimado a comparecer em tribunal dentro de dias, anunciou a polícia. George Pell, o principal conselheiro financeiro do Papa Francisco e o mais alto representante da Igreja católica na Austrália, é o mais alto membro do Vaticano a ser formalmente indiciado por crimes relacionados com abuso sexual de menores.

  • A fábrica de caças na base aérea de Monte Real
    3:35
  • Comprar ou arrendar casa?
    8:25
  • Fui contactado por um espectador do “Contas-Poupança” (quartas-feiras, Jornal da Noite, SIC) e leitor do blogue www.contaspoupanca.pt, que foi surpreendido com uma carta do banco a aumentar o spread porque um dos serviços que tinha subscrito tinha sido extinguido. Neste caso específico, a domiciliação de ordenado. Ora, o cliente ficou estupefacto porque não mudou de empresa, não foi despedido nem tinha havido nenhuma alteração no recebimento do ordenado naquela conta.

    Pedro Andersson

  • NotPetya: Lourenço Medeiros explica o novo ciberataque global
    2:44

    Mundo

    A Ucrânia está a ser seriamente afetada por um novo ataque informático. Algumas empresas de grande dimensão estão a ser prejudicadas, agravando a dimensão global do ataque, o qual não parece ser dirigido a ninguém em concreto. Ontem, nas primeiras horas do ataque, não parava de crescer o número de vítimas.

  • Temer acusado de prejudicar Polícia Federal
    2:36
  • Violência volta às favelas do Rio de Janeiro
    3:21

    Mundo

    As favelas do Rio de Janeiro voltaram aos níveis de violência dos anos 90. A cidade de Deus foi uma das favelas pacificadas que voltou a registar tiroteios diariamente, os moradores falam de situações de trauma e do medo das crianças.

  • Trump interrompe telefonema para elogiar jornalista

    Mundo

    A jornalista irlandesa Caitriona Perry viu-se esta terça-feira envolvida num momento que a própria classificou de "bizarro": um encontro inesperado com Donald Trump, que interrompeu um telefonema com o primeiro-ministro irlandês para... a elogiar.

    SIC

  • Caricaturas de Trump invadem capital do Irão

    Mundo

    O Irão está a organizar um concurso internacional de caricaturas do Presidente norte-americano Donald Trump. Pelas ruas de Teerão já vão surgindo algumas imagens alusivas ao festival que vai realizar-se no próximo mês de julho.

  • Companhia aérea obriga deficiente físico a entrar no avião sem ajuda

    Mundo

    Um homem com uma deficiência física que o obriga a andar numa cadeira de rodas foi obrigado a subir sozinho as escadas de um avião da companhia aérea Vanilla Air. Hideto Kijima deparou-se com a situação quando estava a embarcar da ilha de Amami para Osaka, no Japão, com vários amigos que foram proibidos de o ajudar.

  • De onde vem o dinheiro de Isabel II?

    Mundo

    A rainha Isabel II vai ser aumentada - pelo exercício das suas funções -, em 2018, para 82,2 milhões de libras (93,5 milhões de euros). Este valor é pago pelo Estado britânico. Contudo, esta não é a única fonte de rendimento da rainha de Inglaterra. Isabel II também recebe pelas terras, casas e empresas que tem espalhadas pelo Reino Unido.

  • Cão corre os EUA a entregar águas aos árbitros em jogos de basebol
    0:20