sicnot

Perfil

Mundo

EUA vão exumar restos mortais de 388 norte-americanos vítimas de Pearl Harbour

Os EUA pretendem exumar os restos mortais de 388 norte-americanos mortos em 1941 durante o ataque japonês a Pearl Harbor, uma tentativa inédita de identificação de militares com recurso a testes de ADN, informou hoje o Pentágono.

Reuters

O esforço vai focar-se nos marinheiros e 'marines' do navio USS Oklahoma que nunca foram identificados, mais de sete décadas depois do ataque surpresa que conduziu à entrada dos EUA na II Guerra Mundial. 

O navio afundou depois de ter sido atingido por torpedos japoneses no ataque de Pearl Harbor, causando a morte a 429 marinheiros e 'marines' 

Os restos mortais da tripulação que não puderam ser identificados estão sepultados no Memorial Nacional no Cemitério do Pacífico, em Honolulu.

Para serem analisados, os restos mortais vão ser desenterrados e transferidos para um laboratório do Departamento da Defesa dos EUA, no Havai. 

Gerido pela agência do Departamento de Defesa para o recenseamento de prisioneiros de guerra (POW, na sigla em Inglês) e desaparecidos em combate (MIA, na sigla em Inglês), o laboratório vai recorrer a várias técnicas, "incluindo o ADN". 

O anúncio feito hoje, em comunicado assinado pelo subsecretário da Defesa, Robert Work, reflete o compromisso, detalhado e dispendioso, dos militares norte-americanos com o objetivo de encontrar e identificar os desaparecidos em conflitos desde a II Guerra Mundial. 

O Pentágono envia todos os anos equipas forenses para locais remotos, onde ocorreram quedas de aviões no Pacífico, em busca de restos mortais de tripulações aéreas. 










Lusa
  • Paula Brito e Costa continua a trabalhar na Raríssimas

    País

    Depois de ter apresentado a demissão do cargo de presidente da Raríssimas, Paula Brito e Costa mantém-se a exercer funções na associação, apurou a SIC. Identifica-se agora como diretora-geral e já comunicou isso mesmo a alguns funcionários.

  • As IPSS são estruturantes no país. Fazem o que Estado não faz porque não pode, não quer, ou não chega a tudo. Chama-se sociedade civil a funcionar. E o Estado subsidia, ajuda, (com)participa, apoia. Nada contra. A questão é quando as IPSS e outras instituições, fundações, associações, federações e quejandas se tornam verdadeiras "indústrias".

    Pedro Cruz

  • O ano "saboroso" de António Costa
    0:51

    País

    António Costa diz que 2017 foi um ano "saboroso" para Portugal. Num encontro com funcionários portugueses, em Bruxelas, antes do Conselho Europeu desta quinta-feira, o primeiro-ministro realçou o que o país conquistou no último ano, no plano europeu, e que culminou com a eleição de Mário Centeno para a Presidência do Eurogrupo.

  • Lince ibérico esteve à venda no OLX

    País

    Um anúncio de venda de um lince ibérico, por 1.500 euros, foi publicado esta semana no site de classificados OLX, com uma morada de Alcoutim, no Algarve. A autenticidade da publicação não foi confirmada, mas em setembro foi encontrada a coleira de um lince ibérico precisamente em Alcoutim. As autoridades estão a investigar.

    SIC

  • Estabilização dos solos nas áreas ardidas
    1:58

    País

    Está a começar uma intervenção de emergência para estabilizar os solos nas áreas ardidas nos incêndios florestais. O trabalho das equipas que estão no terreno arrancou na zona da Lousã mas vai passar por vários concelhos como Pampilhosa da Serra e Vila Real.