sicnot

Perfil

Mundo

Papa afirma que eliminar diferenças entre sexos "é um passo atrás"

O Papa afirmou hoje, ao referir-se à chamada "teoria do género", que a eliminação das diferenças entre sexos "é um passo atrás", durante a audiência geral na praça de São Pedro. 

© Tony Gentile / Reuters

"Pergunto-me se a crise de confiança coletiva em Deus, que tão desmoralizados, incrédulos e cínicos nos deixa, não está também ligada à crise da aliança entre o homem e a mulher", observou o Papa argentino na audiência geral na praça de São Pedro, perante cerca de 30 mil fiéis de todo o mundo. 

"A alegada teoria do género" parece ser "a expressão de uma frustração e de uma resignação que visa apagar a diferença sexual por já não sabermos confrontá-la", acrescentou. 

Para Francisco, este "é um passo atrás", já que "eliminar a diferença (de sexo) é o problema e não a solução". 

O Papa defendeu que "a diferença entre os dois (homem e mulher) não é para competir ou dominar, mas para que se dê a reciprocidade necessária para a comunhão e para a procriação, à imagem e semelhança de Deus". 

"A união matrimonial e familiar para toda a vida baseia-se nesta complementaridade (...)", disse Francisco, que se referiu também à crise do casamento e pediu aos casais "que falem mais, ouçam mais, se conheçam mais e se tratem com respeito e cooperem com amizade". 

Para "ultrapassar as dificuldades desta união", Francisco considerou ser necessário "fazer mais a favor da mulher" e "voltar a redescobrir a beleza do desenho criador de Deus". 

"Temos que fazer muito mais a favor da mulher. Não só para que seja mais reconhecida, mas para que a sua voz tenha um peso real, uma autoridade efetiva na sociedade e na Igreja" Católica, sublinhou. 

Esta intervenção de Francisco ocorre seis meses antes de um sínodo (assembleia de bispos) crucial para a família e a sua catequese parece ser uma nova defesa do casamento, apesar de a ala conservadora da Igreja Católica considerar o atual papa demasiado liberal e aberto nas questões sobre o casamento e a homossexualidade. 



Lusa
  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras