sicnot

Perfil

Mundo

Durão Barroso rejeita que Europa esteja "em declínio"

O ex-presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, rejeitou hoje que o projeto da Europa esteja em declínio, contrapondo que quem está em declínio são os "os políticos e os intelectuais que perderam a esperança". 

© Francois Lenoir / Reuters

"Há europeístas hoje em Bruxelas que dizem que antes é que era a idade de ouro na Europa: a pequena europa dos seis países fundadores, que era mais confortável. Mas essa Europa era mais importante do que a de hoje? Nem pensar", disse Durão Barroso no discurso de aceitação do Doutoramento Honoris Causa que recebeu da Universidade Europeia de Madrid. 

Em 1992, acrescentou o ex-primeiro-ministro e ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, na Europa pontificavam políticos como Jacques Delors, François Mitterrand, Felipe González ou Helmut Kohl. 

"Mas éramos apenas 12, já com Espanha e Portugal desde 1986. E alguém pensa que a Europa a 12 tinha mais influência no Mundo do que a atual Europa dos 28? Hoje temos uma representação continental", disse Durão Barroso perante um auditório cheio de professores e alunos da universidade madrilena. 

Nos anos 1980, afirmou, metade da Europa estava sob o totalitarismo comunista e alguns países Bálticos eram uma pequena parte da União Soviética, que hoje são países livres e partilham os mesmos valores da Europa.

E nos anos 1970, "Espanha e Portugal eram ditaduras que nem sequer poderiam fazer parte da União". 

"Por isso como se pode dizer que a Europa está hoje em declínio? Em declínio estão os políticos e os intelectuais que perderam a esperança. Em declínio estão alguns que seguem políticas nacionalistas, no mau sentido da palavra", afirmou Durão Barroso.

Durão Barroso, que esteve na presidência da Comissão Europeia entre 2004 e 2014, fez uma resenha dos "tempos difíceis" com que teve de lidar, sobretudo os anos de crise. 

"Hoje é comum a palavra crise. É a primeira palavra que encontram quando buscam no Google por União Europeia. Uma crise financeira e de valores, que começou noutras partes do mundo, mas que teve graves implicações na construção europeia", disse.

Mas, para Durão Barroso, a Europa mostrou resiliência e os países mais afetados, entre os quais Portugal e Espanha, conseguiram "recuperar a confiança perdida, graças ao compromisso com as reformas necessárias".

"A Europa mostrou a sua extraordinária resiliência, uma qualidade importante. É uma palavra que vem da Física: é a capacidade dos materiais recuperarem a sua forma original após um grande stress. E da psicologia: quando uma pessoa acaba por recuperar a sua capacidade e a sua vida a seguir a um grande trauma. A Europa mostrou a sua resiliência contra os profetas do pessimismo, o Glamour Intelectual do Pessimismo", disse Barroso.

O ex-presidente da Comissão Europeia recebeu hoje um doutoramento 'honoris causa' da Universidade Europeia de Madrid, "pela liderança e intenso trabalho" do português em Bruxelas.

"Considerado um dos principais políticos da história recente, Durão Barroso trabalhou a favor da cidadania no processo de integração europeia e exerceu um importante papel mediador a favor da paz e da conciliação dos povos", indicou a instituição.



Lusa
  • Centro comercial em Manchester evacuado

    Mundo

    Um centro comercial foi evacuado esta manhã, no centro de Manchester. Testemunhas dizem ter ouvido um "grande estrondo". O incidente acontece horas depois do ataque na Manchester Arena, no final da atuação da cantora Ariana Grande, no qual morreram pelo menos 22 pessoas. O espaço comercial em Manchester foi entretanto reaberto. A polícia começou a retirar o cordão de segurança, pouco tempo depois de ser dado o alerta. Uma pessoa foi detida.

  • Dois em cada três idosos em Portugal são sedentários

    País

    É a camada da população mais inativa e com comportamentos que revelam um estilo de vida menos saudável, segundo um estudo divulgado hoje, que analisou os dados de mais de 10.600 portugueses representativos da população, entre os quais mais de 2.300 pessoas com mais de 65 anos.

  • "Michel Temer nunca teve vergonha, não tem cara de pessoa de bem"
    3:04

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou no habitual espaço de comentário do Jornal da Noite  da SIC, o escândalo com o Presidente do Brasil, Michael Temer. O comentador diz que já era previsível que Temer fosse apanhado com "o pé na poça" e afirma que o Presidente brasileiro nunca teve qualquer tipo de vergonha. Miguel Sousa Tavares fez ainda referência ao facto de Dilma Rousseff ser, entre todos os políticos brasileiros, a única que não tem processos contra ela.

    Miguel Sousa Tavares

  • Julgamento do caso BPN deverá terminar quarta-feira
    4:38

    Economia

    O acórdão do processo principal do BPN vai ser tornado público esta quarta-feira, depois de quase sete anos de audições. O rosto principal é o de José Oliveira Costa mas há outros 14 arguidos sentados no banco dos réus.