sicnot

Perfil

Mundo

Governo grego anuncia medidas para enfrentar novo fluxo de imigrantes ilegais

O Governo grego anunciou hoje medidas de emergência para enfrentar uma nova vaga de imigrantes e refugiados que estão a dirigir-se para o país e colocou como prioridade a sua transferência para o continente a partir das ilhas.  

© Alkis Konstantinidis / Reuter

O plano do executivo de Atenas, divulgado pela ministra ajunta para a Imigração, Tasia Christodoulopoulou, estabelece o "imediato descongestionamento" das ilhas gregas, com prioridade para as mais pequenas por não disporem das infraestruturas necessárias.  

O governo grego pretende alugar barcos para transportar os imigrantes a partir as ilhas para outras regiões do país, e já pediu ajuda financeira à União Europeia (UE).  

Tasia Christodoulopoulou também anunciou que todos os indocumentados que têm desembarcado nas ilhas gregas serão enviados para centros em todo o país, e assinalou que em último recurso serão utilizadas para acolhimento temporário dependências abandonadas do governo e do exército.   

O plano inclui um programa completo de exames médicos realizado em conjunto com o centro de controlo de doenças infeciosas, com a participação de unidades móveis e que permitirá aos indocumentados o seu ingresso nos hospitais públicos em caso de necessidade. 

Vão ainda ser estabelecidas oito gabinetes regionais descentralizados para processamento de pedidos de asilo político, mais cinco que os atualmente existentes, e contratado pessoal para trabalhar nos centros de acolhimento. 

Por último, serão impressos folhetos com informação útil em cinco línguas e que serão distribuídos pelos refugiados. 

Estas medidas tentam responder a um aumento exponencial do número de imigrantes clandestinos e refugiados que estão a chegar à Grécia. 

Apenas no primeiro trimestre de 2015 o país acolheu 10.445 indocumentados, contra 2.863 pessoas em igual período do ano anterior. 

Hoje, a guarda costeira grega identificou 220 pessoas que chegaram nas últimas 24 horas às ilhas de Kos, Lesbos e Samos, no leste do mar Egeu. 

Pela sua posição geográfica, a Grécia permanece uma das principais portas de entrada de imigrantes que querem alcançar território europeu, e tem insistido na necessidade de apoio comunitário. 

Os conflitos no Afeganistão e Iraque, e a intensificação da guerra neste país e na vizinha Síria, são o principal motivo para o forte aumento do fluxo de indocumentados em direção à Grécia. 

Lusa

  • ONU pede à UE solução para imigrantes ilegais que tentam chegar à Europa
    0:49

    Mundo

    A ONU apela à União Europeia para que encontre uma solução que salve as vidas dos imigrantes ilegais que tentam chegar à Europa. O Alto Comissariado das Nações Unidas para os refugiados diz que está a aumentar o número de imigrantes que tentam atravessar o Mediterrâneo e cresce também o número de vítimas da travessia.

  • Deputados pedem medidas urgentes para travar exploração de urânio junto à fronteira
    3:06

    País

    Um projeto de exploração de urânio no município de Retortilho em Salamanca, a cerca de 40 quilómetros da fronteira portuguesa, está a causar preocupação nos dois países. Portugueses e espanhóis temem o risco de contaminação por via aérea e fluvial. Deputados portugueses visitaram o local, onde pediram medidas firmas e urgentes ao Governo para travar o projeto. As autoridades de Espanha não acionaram o mecanismo de avaliação ambiental partilhada.

  • Mulher enterrada viva no Brasil
    1:13

    Mundo

    Uma mulher de 37 anos terá sido enterrada viva no oeste da Bahia, no Brasil. A certidão de óbito aponta um choque séptico como a causa da morte, mas os ferimentos com que foi encontrada no interior do caixão indicam um possível erro. Os moradores de casas vizinhas do cemitério municipal onde Rosângela dos Santos foi enterrada ouviram gritos vindos do túmulo.

  • "Os Estados Unidos são uma sociedade de pistoleiros"
    3:47
  • Trump desafia Oprah a candidatar-se para ser derrotada

    Mundo

    Apesar de Oprah Winfrey ter excluído uma eventual candidatura às eleições presidenciais dos Estados Unidos da América, Donald Trump ainda não se esqueceu dos rumores e desafiou a apresentadora a candidatar-se em 2020. Através do Twitter, o Presidente norte-americano disse ainda que assim poderia ser "exposta e derrotada como todos os outros".

    SIC