sicnot

Perfil

Mundo

Relatório indica que aviões comerciais são o novo potencial alvo dos piratas informáticos

Os piratas informáticos poderão tentar explorar os sistemas de entretenimento dos aviões comerciais, cada vez mais ligados à Internet, para sabotar os sistemas de navegação dos aparelhos, alertou hoje um relatório do governo federal norte-americano. 

© Mal Langsdon / Reuters

O Government Accountability Office (GAO, a agência que fiscaliza para o Congresso norte-americano a legalidade do modo como são gastos os dinheiros públicos) identificou a cibersegurança a bordo como "uma questão cada vez mais importante" que já despertou a atenção da Federal Aviation Administration (FAA, a agência que regula a aviação civil nos Estados Unidos).

"As tecnologias modernas de comunicação, incluindo a conectividade IP (serviços ligados à Internet), são cada vez mais utilizadas pelos sistemas da aviação, permitindo que pessoas não autorizadas tenham acesso e comprometam os sistemas de navegação dos aparelhos", indicou o GAO, num relatório.

 No passado, os sistemas eletrónicos usados para controlar e navegar o aparelho -- designados como sistemas eletrónicos -, funcionavam de forma autónoma, frisou a agência.

"No entanto, de acordo com a FAA e os especialistas em cibersegurança contactados, a rede IP poderá permitir que um pirata informático tenha acesso à distância aos sistemas eletrónicos e compromete-los", acrescentou o mesmo documento.

Em teoria, mecanismos como o 'firewall' (sistema de proteção informática) protegem "de qualquer intrusão por parte de utilizadores dos sistemas de cabine, como é o caso dos passageiros que utilizam os dispositivos de entretenimento a bordo".

Mas, segundo os especialistas citados pelo GAO, os 'firewalls', sendo componentes de 'software', podem ser pirateados e alterados "como qualquer outro 'software'".

A FAA ainda não estabeleceu qualquer regulação sobre esta matéria, mas responsáveis indicaram ao GAO que a questão vai começar a ser analisada.

Lusa
  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espirito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espirito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Novo Banco vai reestruturar dívida de Luís Filipe Vieira
    1:22

    Desporto

    O Novo Banco vai reestruturar parte da dívida da empresa de Luís Filipe Vieira, que ronda os 400 milhões de euros. Parte dos ativos da empresa foram transferidos para um fundo para serem rentabilizados no prazo de cinco anos. Esse fundo está a ser gerido pelo vice-presidente do Benfica.

  • Mais de 60% dos jovens não usam preservativo e 1/4 acredita que SIDA transmite-se pelos talheres
    1:42
  • Dissonâncias entre EUA e Europa "podem ser ultrapassadas"
    1:04

    Mundo

    O ministro dos Negócios Estrangeiros reconhece que há sinais manifestos de dissonância na política externa da Europa e dos Estados Unidos da América. No dia em que Donald Trump completa um ano na Casa Branca, Augusto Santos Silva diz que acredita, no entanto, que essas divergências podem ser ultrapassadas.

  • Há mais um suspeito do massacre de Las Vegas 
    0:27

    Mundo

    Em outubro passado, Stephen Paddock abriu fogo sobre os espetadores de um concerto de música country, em Las Vegas, matando 58 pessoas e ferindo quase 500, no mais sangrento tiroteio da história norte-americana recente. A novidade é que a polícia federal dos EUA abriu uma investigação sobre um segundo suspeito no tiroteio. A Polícia Metropolitana disse que não há ainda um motivo para o tiroteio mas aponta como uma das possíveis razões o facto de Stephen Paddock ter perdido uma grande quantia de dinheiro. Os investigadores descobriram ainda que o atirador possuía pornografia infantil no seu computador.