sicnot

Perfil

Mundo

Avião da Turkish Airlines regressa a Istambul devido a ameaça de bomba

Um voo da companhia aérea Turkish Airlines com destino a Basileia (Suíça) teve de regressar hoje ao aeroporto de Istambul devido a uma ameaça de bomba, informou o diário turco Hurriyet.

© Youssef Boudlal / Reuters

Este é o terceiro caso de emergência provocado pela eventual presença de uma bomba a bordo registado pela companhia aérea turca em menos de um mês. 

O aparelho, um Boeing 738 com 151 pessoas a bordo que fazia a rota entre Istambul e Basileia, regressou ao aeroporto turco como medida de prevenção perante a ameaça de bomba, cujas características não foram especificadas. 

O avião aterrou em Istambul sem registo de problemas.

O diário Hurriyet indicou que, após a evacuação do aparelho, as forças policiais entraram dentro do avião e iniciaram os procedimentos de segurança.

No passado dia 30 de março, um avião da Turkish Airlines que fazia a ligação entre Istambul e a cidade brasileira de São Paulo foi forçado a fazer uma aterragem de emergência em Casablanca, Marrocos, devido a uma ameaça de bomba falsa.

Na altura, a tripulação encontrou dentro do aparelho um bilhete com a palavra "bomba", o que provocou o alarme entre os passageiros.

Depois da conclusão dos procedimentos de segurança em Casablanca, o avião retomou a rota e seguiu para São Paulo sem incidentes.

No início deste mês, a 01 de abril, outro avião da companhia turca, que voava de Istambul para Lisboa, foi obrigado a regressar à cidade turca devido um pacote suspeito encontrado a bordo. 

A ameaça de bomba verificou-se falsa e o mesmo aparelho voltou a fazer, algumas horas depois, o voo para Lisboa.

Lusa

  • PSD e CDS assinalam 36º aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro
    1:38

    País

    O presidente do PSD deixou críticas ao Partido Comunista, este domingo, a propósito do aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro. Pedro Passos Coelho lembrou os festejos dos comunistas na altura, numa resposta a quem questionou a abstenção dos sociais-democratas ao voto de pesar a Fidel Castro, que o PCP levou ao Parlamento. Este domingo, tanto o PSD como o CDS-PP prestaram homenagem a Sá Carneiro e Adelino Amaro da Costa.