sicnot

Perfil

Mundo

ONU "extremamente preocupada" com violência xenófoba na África do Sul

A agência da ONU para os Refugiados (ACNUR) manifestou-se hoje "extremamente preocupada" com a violência xenófoba na África do Sul e as condições de abrigo das vítimas dos ataques, que causaram seis mortos e abandono de cinco mil emigrantes.

© Philimon Bulawayo / Reuters

Em nota hoje divulgada, a agência das Nações Unidas refere que "está extremamente preocupada" com a situação, apesar de saudar os esforços do Governo para conter a onda de xenofobia na África do Sul, por garantir que "tentaria conter a situação e prestar assistência" às vítimas.  

Na quinta-feira, o Presidente sul-africano, Jacob Zuma, lançou um apelo à calma, tendo afirmado que "nenhum nível de frustração ou de raiva pode justificar ataques contra os cidadãos estrangeiros ou a pilhagem das suas lojas".

Falando hoje aos jornalistas, o porta-voz do ACNUR em Genebra, Adrian Edwards, estimou que os incidentes violentos que afetam as cidades sul-africanas de Durban e Joanesburgo causaram "seis mortos e desalojou mais de 5.000 estrangeiros".

O chefe de Estado sul-africano comprometeu-se a "fazer tudo o que puder para proteger os cidadãos estrangeiros no país e reafirmou o seu compromisso para com os refugiados e requerentes de asilo, em conformidade com a lei e protocolos internacionais", disse Adrian Edwards.

O porta-voz do ACNUR lembrou que a agência havia sido contactada por refugiados que estavam com medo de ser alvejados.

Uma equipa do ACNUR foi enviada para a cidade costeira de Durban para avaliar a situação e identificar os apoios necessários a dar aos parceiros governamentais e da sociedade civil que estão a tentar dar resposta às vítimas. 

Centenas de estrangeiros estão albergados em quatro centros de deslocados estabelecidos pelo Centro de Gestão de Desastres local, mas diariamente o número de requerentes tem aumentado.

Um número indeterminado de pessoas procurou refúgio em estabelecimentos religiosos, nomeadamente mesquitas e igrejas.

Em alguns locais estão albergadas cerca de 1.400 pessoas, a maioria homens solteiros, mas os asilados do sexo masculino estão separados das mulheres e crianças, cujo número não foi especificado pelo ACNUR.

"Em Isipingo, existem cerca de 300 pessoas, e em Greenwood Park outro 450. Na quinta-feira, cerca de 1.500 pessoas deslocadas foram transferidas para um novo e maior centro em Phoenix. Em algumas comunidades, as condições de abrigo são das mais básicas e é necessário prover condições sanitárias e de saúde adequados", refere o ACNUR.

Esta madrugada chegaram a Boane, província de Maputo, os primeiros 107 moçambicanos que foram repatriados da África do Sul fugindo da violência xenófoba. 

Segundo fonte oficial, há pelo menos 600 moçambicanos refugiados em campos em Durban, localidade sul-africana mais afetada pela violência xenófoba, sendo que a maioria manifestou o desejo de ser repatriada para Moçambique. 


Lusa
  • Primeiro-ministro holandês liga a Costa para explicar palavras de Dijsselbloem
    2:23

    País

    António Costa pediu que Djisselbloem desaparecesse da Presidência do Eurogrupo. Após esta tomada de posição, o primeiro-ministro holandês ligou para Costa na semana passada a dar explicações. Contudo, o primeiro-ministro português não recua e volta a dizer que Dijsselbloem não tem condições para continuar, na sequência das declarações sobre copos e mulheres. Os eurodeputados do Partido Popular Europeu reforçaram também esta terça-feira o pedido de demissão.

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45

    País

    Há um surto de hepatite A em Portugal. Desde janeiro, 105 pessoas foram diagnosticadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, um número superior aos casos contabilizados em todo o país nos últimos 40 anos. O surto terá começado na Holanda e está a atingir quase toda a Europa.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Novo vídeo do Daesh mostra crianças a treinar para matar
    3:35
  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho

  • Trump propõe cortes orçamentais para pagar muro

    Mundo

    O Presidente dos Estados Unidos está a propor cortes de milhões de dólares no orçamento para que os contribuintes norte-americanos, e não o México, paguem o muro a construir na fronteira entre os dois países.

  • Tecnologia permite a tetraplégico mexer mão e braço

    Mundo

    Um homem que ficou tetraplégico num acidente voltou a mover-se com a ajuda da tecnologia e apenas usando o pensamento, num projeto de investigadores dos Estados Unidos divulgado esta terça-feira na revista especializada em medicina The Lancet.