sicnot

Perfil

Mundo

Sete anos de prisão para jornalista chinesa por revelar "segredos de Estado"

Um tribunal de Pequim condenou hoje a jornalista veterana Gao Yu, voz crítica do Governo, a sete anos de prisão por "revelar segredos de Estado", informam as agências internacionais. 

© Tyrone Siu / Reuters

A sentença foi anunciada pelo tribunal, na sua conta oficial de microblogue, e confirmada pelo advogado da condenada. 

A jornalista de 71 anos foi detida em abril do ano passado e julgada em novembro sob um forte dispositivo policial. 

Esta não é a primeira vez que a Gao Yu enfrenta a justiça devido a trabalhos de cariz político.

Em 1993 foi condenada a seis anos de prisão pelas mesmas acusações que agora enfrenta, e passou 15 meses presa por ter apoiado os protestos pró-democráticos de Tiananmen, em 1989.

Gao Yu era suspeita de ter obtido ilegalmente um documento altamente confidencial e de enviar uma cópia por correio eletrónico a um sítio na Internet no exterior da China, em junho passado.

Segundo as agências France Presse e EFE, a jornalista escreveu sobre o chamado "documento 9", uma comunicação interna do Partido Comunista Chinês defendendo uma dura repressão sobre dissidentes e alertando para os "perigos" da democracia multipartidária.

Uma cópia completa do documento foi publicada em Hong Kong em agosto do ano passado.


Lusa
  • E os nomeados são... conhecidos hoje

    Cultura

    São, esta terça-feira, conhecidos os nomeados para os Óscares. O anúncio vai ser feito a partir de Los Angeles quando forem 13h00 em Lisboa e seguido em direto numa emissão especial da SIC Notícias.

    Aqui a partir das 13:00

  • Centeno promete avançar com reformas para a zona euro
    1:45

    Economia

    Mário Centeno liderou esta segunda-feira a primeira reunião do Eurogrupo. O ministro das Finanças português prometeu pôr mãos à obra para reformar a zona euro e, sem se comprometer com datas, deixou a porta entreaberta à entrada da Bulgária na zona euro.

  • "Shutdown" nos EUA chegou ao fim
    1:05
  • Papa pede perdão a vítimas de abusos por ter usado expressão "menos feliz"
    1:21

    Mundo

    No final da visita à América Latina, já no avião de regresso a Roma, o Papa Francisco pediu desculpa às vítimas de abusos sexuais no Chile. O líder da Igreja católica considerou que utilzou uma expressão menos "feliz" quando saiu em defesa do bispo Juan Barros, exigindo "provas" a quem o acusa de não ter agido.