sicnot

Perfil

Mundo

Presidente sul-africano cancela deslocação devido à onda de violência no país

O presidente da África do Sul, Jacob Zuma, cancelou este sábado uma visita à Indonésia "para se ocupar de problemas domésticos" relacionados com a violência contra estrangeiros no país, informou o gabinete do chefe de Estado.

Zuma deveria deslocar-se hoje à Indonésia para participar na Cimeira África Ásia que comemora o acordo de Bandung de 1955, em que os líderes dos dois continentes impulsionaram os movimentos de libertação e autodeterminação. (Arquivo)

Zuma deveria deslocar-se hoje à Indonésia para participar na Cimeira África Ásia que comemora o acordo de Bandung de 1955, em que os líderes dos dois continentes impulsionaram os movimentos de libertação e autodeterminação. (Arquivo)

© POOL New / Reuters

A polícia, na região do KwaZulu-Natal informou hoje que deteve 78 pessoas supostamente envolvidas em atos de violência racista que já fizeram pelo menos seis mortos nas últimas duas semanas.

Zuma deveria deslocar-se hoje à Indonésia para participar na Cimeira África Ásia que comemora o acordo de Bandung de 1955, em que os líderes dos dois continentes impulsionaram os movimentos de libertação e autodeterminação.

Jacob Zuma vai ser substituído pelo vice-presidente Cyril Ramaphosa no encontro internacional que vai decorrer na Indonésia.

Hoje, o presidente sul-africano deve visitar os estrangeiros que foram obrigados a abandonar os locais onde residiam e que se encontram num acampamento em Chatsworth, Durban.

O chefe de Estado voltou a condenar os ataques contra os estrangeiros, incluindo cidadãos moçambicanos, e pediu à polícia para continuar a trabalhar "dia e noite, proteger as populações" e para prender os responsáveis.

As últimas informações das autoridades de Moçambique indicam que 107 moçambicanos, incluindo 21 crianças, regressaram a Moçambique na sexta-feira e foram instalados num campo em Boane, província de Maputo, repatriados da África do Sul devido à onda de violência xenófoba.

Entretanto, mais de cem pessoas manifestaram-se hoje em Maputo contra a onda de violência na África do Sul, numa marcha que teve terminou junto à Embaixada sul-africana na capital moçambicana.

A manifestação, organizada por membros da sociedade civil, iniciou-se às primeiras horas da manhã na avenida Eduardo Mondlane, quando dezenas de pessoas se reuniram em frente ao edifício da Eletricidade de Moçambique, e prosseguiu pelo centro da capital moçambicana de modo pacífico.
Lusa
  • Manuel Valls diz que Trump fez declaração de guerra à Europa

    Mundo

    O antigo primeiro-ministro francês Manuel Valls, aspirante a candidato socialista às presidenciais deste ano, considerou esta segunda-feira como uma "declaração de guerra" as afirmações do futuro Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre a União Europeia.

  • Morreu o último homem que pisou a Lua

    Mundo

    O astronauta norte-americano Eugene Cernan, o último homem a pisar a Lua, morreu esta segunda-feira aos 82 anos, informou a agência espacial norte-americana, NASA.

  • Novo motim em prisão brasileira do Rio Grande do Norte

    Mundo

    Um motim ocorreu esta segunda-feira de madrugada numa prisão do estado brasileiro de Rio Grande do Norte, sem fazer feridos ou mortos, depois de uma rebelião numa outra prisão do mesmo estado ter feito 26 mortos no fim de semana.

  • Cheias e derrocadas destroem várias casas no Peru
    0:42

    Mundo

    Um deslizamento de terras seguido de uma inundação destruiu várias casas no Peru. As imagens mostram o momento em que o deslizamento acontece e o caos que se gerou. O trânsito ficou cortado e as inundações que se seguiram obrigaram várias pessoas a abandonar as suas habitações.