sicnot

Perfil

Mundo

Presidente sul-africano cancela deslocação devido à onda de violência no país

O presidente da África do Sul, Jacob Zuma, cancelou este sábado uma visita à Indonésia "para se ocupar de problemas domésticos" relacionados com a violência contra estrangeiros no país, informou o gabinete do chefe de Estado.

Zuma deveria deslocar-se hoje à Indonésia para participar na Cimeira África Ásia que comemora o acordo de Bandung de 1955, em que os líderes dos dois continentes impulsionaram os movimentos de libertação e autodeterminação. (Arquivo)

Zuma deveria deslocar-se hoje à Indonésia para participar na Cimeira África Ásia que comemora o acordo de Bandung de 1955, em que os líderes dos dois continentes impulsionaram os movimentos de libertação e autodeterminação. (Arquivo)

© POOL New / Reuters

A polícia, na região do KwaZulu-Natal informou hoje que deteve 78 pessoas supostamente envolvidas em atos de violência racista que já fizeram pelo menos seis mortos nas últimas duas semanas.

Zuma deveria deslocar-se hoje à Indonésia para participar na Cimeira África Ásia que comemora o acordo de Bandung de 1955, em que os líderes dos dois continentes impulsionaram os movimentos de libertação e autodeterminação.

Jacob Zuma vai ser substituído pelo vice-presidente Cyril Ramaphosa no encontro internacional que vai decorrer na Indonésia.

Hoje, o presidente sul-africano deve visitar os estrangeiros que foram obrigados a abandonar os locais onde residiam e que se encontram num acampamento em Chatsworth, Durban.

O chefe de Estado voltou a condenar os ataques contra os estrangeiros, incluindo cidadãos moçambicanos, e pediu à polícia para continuar a trabalhar "dia e noite, proteger as populações" e para prender os responsáveis.

As últimas informações das autoridades de Moçambique indicam que 107 moçambicanos, incluindo 21 crianças, regressaram a Moçambique na sexta-feira e foram instalados num campo em Boane, província de Maputo, repatriados da África do Sul devido à onda de violência xenófoba.

Entretanto, mais de cem pessoas manifestaram-se hoje em Maputo contra a onda de violência na África do Sul, numa marcha que teve terminou junto à Embaixada sul-africana na capital moçambicana.

A manifestação, organizada por membros da sociedade civil, iniciou-se às primeiras horas da manhã na avenida Eduardo Mondlane, quando dezenas de pessoas se reuniram em frente ao edifício da Eletricidade de Moçambique, e prosseguiu pelo centro da capital moçambicana de modo pacífico.
Lusa
  • Três irmãos resgatados dos escombros em Itália
    1:24
  • Porto Editora acusada de discriminação
    2:55
  • Graça Fonseca, a primeira governante a assumir-se homossexual
    1:02

    País

    A secretária de Estado da Modernização Administrativa deu uma entrevista ao Diário de Notícias onde assume a sua homossexualidade. É a primeira vez que um governante português o faz. Graça Fonseca assume esta posição pública como uma "afirmação política".

  • Governo quer entregar OE 2018 a 13 de outubro
    1:33
  • Casa Branca isolada devido a pacote suspeito

    Mundo

    A Casa Branca foi esta terça-feira isolada devido à presença de um pacote suspeito junto a uma das vedações que limitam o edifício governamental norte-americano. A situação já foi normalizada e o objeto retirado do local.