sicnot

Perfil

Mundo

Confrontos na Coreia do Sul deixam 70 polícias feridos

Na Coreia do Sul, manifestantes e polícia envolveram-se em violentos confrontos. Tudo começou com uma manifestação que deveria ser pacífica, em memória do naufrágio de um ferry boat, onde morreram 304 pessoas, na maioria estudantes.

Os manifestantes tentaram aproximar-se da residência do Presidente coreano e a polícia reagiu com canhões de água e gás. Pouco depois, o centro de Seul estava transformado num campo de batalha.

Os manifestantes tentaram aproximar-se da residência do Presidente coreano e a polícia reagiu com canhões de água e gás. Pouco depois, o centro de Seul estava transformado num campo de batalha.

YONHAP / Lusa

Um ano depois, os familiares das vítimas responsabilizam os governantes e a corrupção no país pela tragédia. 

Os manifestantes tentaram aproximar-se da residência do Presidente coreano e a polícia reagiu com canhões de água e gás. Pouco depois, o centro de Seul estava transformado num campo de batalha. 

Segundo as autoridades, 70 polícias ficaram feridos nos confrontos.
  • Fogo em Setúbal dominado
    2:31

    País

    O incêndio que deflagrou na terça-feira em Setúbal está dominado. As chamas chegaram a ameaçar as casas, o que obrigou à retirada de cerca de 500 pessoas das habitações, como medida de precaução. Também o Hotel do Sado teve de ser evacuado.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.