sicnot

Perfil

Mundo

Primeiro-ministro finlandês admite derrota para maior partido da oposição

O primeiro-ministro finlandês, Alexander Stubb, admitiu a derrota do Governo de direita que lidera nas eleições legislativas de hoje, que deram a vitória ao principal partido da oposição, o Partido do Centro.

© Lehtikuva Lehtikuva / Reuters

"Parece que o Partido do Centro ganhou. Parabéns", afirmou Alexander Stubb à rádio e televisão pública YLE, quando estão contados 70% dos votos. 

O líder do Partido do Centro, Juha Sipila, um milionário de 53 anos da área das tecnologias de informação que recentemente enveredou pela política, deverá ser o novo primeiro-ministro da Finlândia. 

Segundo projeções da YLE, citadas pela agência noticiosa AFP, o Partido do Centro deverá eleger 46 dos 200 lugares no parlamento, seguido do Partido Social-democrata e da Coligação Nacional de Alexander Stubb, cada um com 37 lugares, enquanto o partido eurocético finlandês ('Verdadeiros Finlandeses') conseguiu 35 lugares parlamentares. 

A primeira tarefa do novo primeiro-ministro finlandês será a escolha dos parceiros de coligação para formar um Governo com maioria no parlamento.

Juha Sipila ainda não revelou com que partidos gostaria de colaborar e são esperadas várias semanas de negociações antes de conseguir apresentar um Governo.

Eleito para o parlamento em 2011, Juha Sipila tornou-se o líder do Partido do Centro em 2012 quando era um desconhecido da maioria dos finlandeses.

No entanto, o seu partido, que está na oposição desde 2011, tem sido uma força dominante da política finlandesa, e conseguiu eleger 12 primeiros-ministros e três presidentes. 


Lusa
  • Famílias das vítimas de Pedrógão criam associação para apurar responsabilidades
    2:13
  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15