sicnot

Perfil

Mundo

Comandante da embarcação que naufragou no Mediterrâneo está detido

Comandante da embarcação que naufragou no Mediterrâneo está detido

Está detido o comandante da embarcação que naufragou com cerca de 900 pessoas no Mediterrâneo. É acusado de múltiplo homicídio e de provocar o naufrágio ao largo da ilha de Lampedusa.

  • Erro do capitão e sobrelotação causaram pior acidente no Mediterrâneo
    3:48

    Mundo

    O comandante da embarcação que naufragou no Mediterrâneo no domingo e um elemento da tripulação foram detidos acusados de tráfico humano. Os dois suspeitos chegaram ao porto siciliano de Catania ontem à noite juntamente com os poucos sobreviventes da tragédia. A embarcação colidiu com um navio mercante de bandeira portuguesa que vinha em seu auxílio. As Nações Unidas já confirmaram que morreram 800 pessoas. Muitas estavam trancadas no porão.

  • Capitão da embarcação que naufragou domingo acusado de homicídio voluntário

    Crise Migratória na Europa

    O capitão tunisino da embarcação que naufragou domingo no Mediterrâneo foi acusado de homicídio voluntário, avançaram as autoridades italianas. Um outro elemento da tripulação, um cidadão sírio que também sobreviveu ao naufrágio, foi acusado de auxílio à imigração ilegal. As autoridades italianas referiram que o pior desastre com migrantes no Mediterrâneo, que causou 800 mortos, se deveu a erros do capitão e à sobrelotação da embarcação. 

  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A regra aplica-se a autoestradas e outras vias com esse perfil mas dentro das localidades há exceções. A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.

  • A primeira vez do Sr. Árbitro
    12:41