sicnot

Perfil

Mundo

Indiana deixada pelo marido condenada a viver com vizinho

O conselho de uma aldeia no norte da Índia ordenou a uma residente, cujo marido fugira com a esposa de um vizinho, que passe a viver com o morador abandonado ou que lhe pague uma compensação.

© Anindito Mukherjee / Reuters

A polícia está a investigar o pedido de ajuda que Rajendra Meghwal fez ao conselho da aldeia, situada no Estado de Rajasthan (norte da índia), depois da fuga da sua esposa, acompanhada das duas crianças de ambos, com o vizinho Kalulal Meghwal.

Mamta, a mulher de Kalulal, disse à polícia que o conselho da aldeia a obrigou a escolher entre pagar uma compensação de cerca de 4.500 euros a Rajendra Meghwal por o seu marido ter fugido com a mulher deste ou a ir viver com o homem "abandonado".

"A mulher não esteve presente na reunião do conselho, mas veio queixar-se a nós de que fora solicitada para escolher entre pagar dinheiro ou viver com Rajendra Meghwal", disse o polícia Sanjay Kumar à Agência  France Press

Na decisão do conselho da aldeia não ficou claro se ao viver com Rajendra desempenhará o papel de esposa ou de empregada doméstica.

Os conselhos de aldeia, conhecidos como panchayats, consistem em grupos de cidadãos não eleitos que são encarados como árbitros sociais e morais da respetiva aldeia.

Embora não tenham cobertura legal, os panchayats são muito influentes e têm sido acusados de aplicar sanções a "crimes de honra" praticados por mulheres cujas ações são vistas como vergonhosas para as suas famílias.

Apelidados de "tribunais de canguru" pelos críticos, os conselhos de aldeia são conhecidos pelos espancamentos em público e por outras medidas de coação que aplicam àqueles que consideram criminosos.

Com Lusa

  • Os números das eleições francesas
    0:50

    Eleições França 2017

    Os resultados definitivos mostram que Emmanuel Macron obteve 24% dos votos, na primeira volta das eleições francesas. Ficou quase três pontos à frente de Marine Le Pen, que conseguiu 21,3%. Os números oficiais, publicados pelo Ministério do Interior, dão ainda conta da taxa de abstenção: 22,2%, um ligeiro aumento face à primeira volta das presidenciais de 2012.

  • ASAE encerra em média um restaurante por dia
    1:33
  • Grupo de brasileiros em assalto milionário no Paraguai
    1:24