sicnot

Perfil

Mundo

Pelo menos três mortos em Sydney devido a mau tempo

Três pessoas foram encontradas mortas na região de Sydney, a maior cidade australiana, que continuava hoje a ser atingida por uma intempérie que deixou milhares de pessoas sem energia elétrica.

© Jason Reed / Reuters

Chuvas torrenciais e fortes ventos -- de até 135 km/h -- abateram-se hoje, pelo segundo dia consecutivo. Segundo o Departamento de Meteorologia, em 24 horas, o nível de pluviosidade foi de 119 milímetros, o mais elevado desde 2002 em Sydney.

Três pessoas foram encontradas mortas em Dungog, a cerca de 200 quilómetros a norte da cidade, mas as circunstâncias exatas da morte continuam, porém, por determinar, segundo a polícia do estado de Nova Gales do Sul.

O comissário adjunto dos serviços de urgência do mesmo estado, Steven Pearce, deu conta de mais de 3.000 pedidos de ajuda e da realização de 20 operações de resgate em zonas inundadas.

Mais de cem escolas foram fechadas.


Lusa
  • Incêndios em Portugal - um mês depois
    9:10

    Reportagem Especial

    Regressar a casa para refazer a vida é tudo o que querem as famílias a quem o fogo levou quase tudo, há cerca de um mês. Contudo, esse regresso não tem sido fácil. Depois dos incêndios, famílias e empresas ainda têm de vencer as burocracias. A Reportagem Especial deste sábado regressa a Seia, onde arderam mais de 70 casas de primeira habitação e onde a vida de muitos parece ter entrado num impasse.

  • Caixa multibanco assaltada em Portugal a cada dois dias
    2:43

    País

    O semanário Expresso conta que a mulher que morreu vítima de um disparo de agentes da PSP foi atingida pelas costas. O caso está a ser investigado pela PJ, que procura encaixar as peças da noite que acabou com uma morte inocente mas que começou com uma perseguição a um grupo de assaltantes de um multibanco. Assaltos que são cada vez mais comuns e que preocupam o Governo. A cada dois dias, uma caixa é assaltada.

  • Metro de Lisboa vai reduzir consumo de água

    País

    O Metro de Lisboa colocou em prática um programa para reduzir o consumo de água devido à situação de seca em Portugal, respondendo assim ao apelo do Ministério do Ambiente, segundo um comunicado divulgado este sábado.