sicnot

Perfil

Mundo

Erupção do vulcão chileno Calbuco obrigou a retirar mais de quatro mil pessoas

Mais de quatro mil pessoas foram retiradas de casa até ao momento na sequência da dupla erupção do vulcão chileno Calbuco, que estava sem atividade há mais de meio século, informaram esta quinta-feira fontes locais oficiais.

O vulcão, localizado na região de Los Lagos (sul do Chile), entrou na quarta-feira de forma inesperada em erupção, lançando uma enorme coluna de fumo e de cinzas, mas também rochas.

O vulcão, localizado na região de Los Lagos (sul do Chile), entrou na quarta-feira de forma inesperada em erupção, lançando uma enorme coluna de fumo e de cinzas, mas também rochas.

© STRINGER Chile / Reuters

O vulcão, localizado na região de Los Lagos (sul do Chile), entrou na quarta-feira de forma inesperada em erupção, lançando uma enorme coluna de fumo e de cinzas, mas também rochas.

As autoridades chilenas decretaram o estado de emergência por catástrofe, um alerta sanitário e a suspensão de todas as aulas em toda a região de Los Lagos. 

As mesmas fontes também informaram que até à data não foram registados mortos, existindo apenas a indicação de um desaparecido, um jovem alpinista que se encontrava na área com um grupo de amigos. 

A Presidente do Chile, Michelle Bachelet, reconheceu hoje que a erupção do Calbuco, situado cerca de 1000 quilómetros a sul da capital Santiago do Chile e a 2015 metros acima do nível do mar, gerou uma situação pior do que a provocada, em março passado, pela erupção do vulcão Villarica, também localizado na região sul.

"Isto é mais grave do que o Villarrica", vulcão que entrou em erupção em 3 de março e obrigou a retirar da zona 3385 pessoas.

Michelle Bachelet viaja hoje para a cidade de Puerto Montt, uma das mais afetadas pela erupção do Calbuco, para reunir-se com os agricultores daquela zona e visitar alguns dos 11 centros de acolhimento que estão a receber os desalojados. 

A chefe de Estado chilena informou que, segundo os dados fornecidos pelos organismos especializados, a atividade do vulcão continua a ser vigiada, mantendo-se em vigor a medida de evacuação preventiva de 20 quilómetros em redor do vulcão.

"Foram destacadas equipas aéreas e terrestres para observar as condições vulcanológicas, mas também para localizar pessoas ou grupos de pessoas que possam estar isolados", acrescentou Bachelet. 
Lusa
  • GNR só teve acesso às imagens das agressões em Alcochete 12 horas depois
    1:42

    Crise no Sporting

    A GNR não pôde visionar as imagens de videovigilância da Academia de Alcochete logo que chegou ao local. O sistema estava inoperacional, o que fez com que as imagens só fossem entregues quase 12 horas depois do ataque à equipa do Sporting. Entre as provas recolhidas, estão também impressões digitais e vestígios de sangue encontrados na zona do balneário.

  • Juiz considera que agressões em Alcochete foram "ato terrorista"
    1:59

    Crise no Sporting

    O juiz que decretou a prisão preventiva dos 23 detidos pelo ataque à Academia do Sporting considera que se tratou de um ato terrorista. Diz mesmo que os agressores tiveram um comportamento chocante e que perverte o espírito desportivo. Sete dos 23 detidos já foram condenados por outros crimes, mas não chegaram a pena de prisão.

  • Gonçalo Guedes: o menino franzino que jogava mais que os outros em Benavente
    8:47
  • A promessa que João Mário vai ter de cumprir se Portugal for campeão
    1:36
  • Aprovadas mudanças no acesso ao ensino superior

    País

    O Governo aprovou esta quinta-feira o decreto-lei que estabelece o currículo dos ensinos básico e secundário, bem como os princípios orientadores da avaliação, voltando a nota de Educação Física a contar para a média de acesso ao ensino superior. No caso dos alunos do ensino profissional, são eliminados requisitos considerados discriminatórios no acesso ao ensino superior.

  • Universidade de Coimbra não retira Honoris Causa a Lula
    3:30
  • Estudo acaba com teorias da conspiração sobre a morte de Hitler

    Mundo

    Existem algumas versões sobre o desaparecimento do ditador nazi, Adolf Hitler. Há quem diga que viajou para um país da América do Sul, outros acreditam que está escondido na Antártida e há até quem vá mais longe e acredita que estaria na Lua. Mas, teorias da conspiração à parte, a história oficial diz que Hitler suicidou-se num bunker, em Berlim, Alemanha.

    SIC