sicnot

Perfil

Mundo

Julgamento de acidente com autocarro de adeptos polacos em Lisboa tem hoje alegações finais

As alegações finais do julgamento do motorista do autocarro com adeptos de futebol do Legia de Varsóvia que, em 2012, embateu numa viatura ligeira, de que resultou a morte do condutor do automóvel, estão marcadas para hoje em Lisboa.

© Chip East / Reuters

Os factos ocorreram cerca das 00:10 de 24 de fevereiro de 2012, quando o autocarro que transportava adeptos do clube polaco Legia de Varsóvia, após um jogo com o Sporting para a Liga Europa, chocou frontalmente num automóvel, na Avenida Fontes Pereira de Melo, em Lisboa.

O motorista do autocarro, hoje com 48 anos e único arguido no processo, está acusado pelo Ministério Público (MP)de um crime de homicídio por negligência e de duas contraordenações, uma muito grave.

O MP proferiu despacho de arquivamento quanto ao antigo comandante metropolitano de Lisboa da PSP e dois agentes policiais, responsáveis pela escolta policial desde o Estádio Alvalade XXI até ao Aeroporto de Lisboa, e deduziu acusação contra o motorista.

"O acidente ficou a dever-se exclusivamente à condução do arguido, que, porque pretendia juntar-se aos outros veículos da coluna que já tinham passado o cruzamento, não respeitou a sinalização semafórica que se encontrava de cor vermelha (...), porque imprimia uma velocidade superior ao permitido por lei e sem antes se ter certificado, como lhe era possível e exigível, que não colocava em perigo os outros utentes da via e causar um acidente, como veio a acontecer", diz a acusação do MP, a que a agência Lusa teve acesso.

Para o MP, o motorista conduzia o autocarro "sem a atenção e o cuidado necessários a uma circulação prudente", tendo desrespeitado o sinal vermelho e seguido a uma velocidade não inferior a 55 quilómetros/hora.

O início das alegações finais está agendado para as 15:00 na Instância Criminal Local, Juiz 1, no campus da Justiça.


Lusa

  • Marcelo promete entregar carta de menina com paralisia cerebral ao primeiro-ministro
    3:05

    País

    O Presidente da República está preocupado com os cuidadores dos cidadãos que precisam de cuidados paliativos. No Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, que se assinalou este sábado, Marcelo Rebelo de Sousa visitou a Casa do Tejo, em Algés, onde três famílias de crianças com paralisia cerebral e outros problemas de saúde são recebidas em conjunto com os pais para que toda a famíla possa receber apoio de técnicos especializados. O Presidente recebeu uma carta de uma menina de 5 anos, com paralisia cerebral, e prometeu que a vai entregar ao primeiro-ministro, para que seja aberta uma porta legislativa mais larga para os problemas das pessoas deficientes.

  • O impacto e as consequências do referendo em Itália
    1:02