sicnot

Perfil

Mundo

Pelo menos 115 crianças mortas no Iémen no último mês

Pelo menos 115 crianças foram mortas no Iémen desde o início da ofensiva aérea lançada a 26 de março pela Arábia Saudita contra as milícias xiitas dos "huthis", anunciou hoje a agência da ONU para a infância.

© Mohamed Al-Sayaghi / Reuters

"Pelo menos 115 foram mortas e 172 sofreram mutilações" desde 26 de março, segundo um balanço fechado a 20 de abril, disse um porta-voz do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), Christophe Boulierac, numa conferência de imprensa em Genebra.

Do total de crianças mortas registadas, mais de metade (64) foram vítimas de bombardeamentos aéreos e quase um quarto (26) de munições que não explodiram ou de minas, precisou.

A maioria, 71, foi morta no norte do Iémen, quase o dobro das 44 mortas no sul. 

O porta-voz advertiu que o balanço real de vítimas entre as crianças é certamente mais elevado.

A UNICEF apurou, por outro lado, que pelo menos 140 crianças foram recrutadas pelos grupos armados.

A 09 de abril, o representante da UNICEF no Iémen, Julien Harneis, afirmou que um terço dos combatentes dos grupos armados era menor de 18 anos.

Segundo números da Organização Mundial de Saúde (OMS), mais de 1.000 pessoas foram mortas no Iémen desde 19 de março. Segundo as estatísticas do Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos, pelo menos 551 civis foram mortos desde 26 de março.

A Arábia Saudita lidera uma coligação militar de dez países que a 26 de março lançou uma ofensiva aérea contra as milícias xiitas 'huthis' do Iémen e em apoio das forças leais ao Presidente iemenita, Abd Rabbo Mansur Hadi.



Lusa


  • Eurogrupo dá luz verde ao Orçamento do Estado
    0:29

    Orçamento do Estado 2017

    O Orçamento português passou no Eurogrupo mas os ministros das Finanças alertam que podem ser precisas mais medidas para cumprir as metas e em março vão voltar a olhar para as contas. Para já, estão satisfeitos com o compromisso assumido por Mário Centeno e mais sete ministros da zona euro, cujos Orçamentos estão em risco de incumprimento.

  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados".Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade. A SIC esteve em Luanda e falou com o advogado Adolfo Campos e com os músicos Carbono Casimiro, Mona Dya Kidi e David Salei. Já todos estiveram presos. Já todos foram vítimas de violência policial. Defendem que "a geração anterior comprometeu o país" e acreditam que só a mudança política pode trazer um futuro melhor. Para estes jovens activistas, a guerra que arrasou o país, e com que o regime justifica tudo, não deixou heróis, apenas "vilões e vítimas".

  • O que aconteceu à menina síria que relatava a guerra no Twitter?
    1:59