sicnot

Perfil

Mundo

Tsunamis cósmicos ressuscitam galáxias mortas

Uma equipa internacional de astrónomos, coliderada pelo português David Sobral, descobriu que galáxias mortas ressuscitam quando ocorre um mega 'tsunami cósmico', uma onda de choque gigante que se forma numa colisão frontal de enxames de galáxias 'supermassivas'.

Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço

Em declarações à Lusa, David Sobral, do  Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA), explicou que, quando voltam de novo à vida, por um período "breve", mas que, em astronomia, corresponde a cerca de mil milhões de anos, as galáxias "acabam por gastar todo o gás que lhes restava".

No caso em concreto, a equipa estudou imagens de uma onda de choque com perto de cinco milhões de anos-luz. Os 'tsunamis cósmicos' propagam-se "a enormes velocidades", de cerca de sete milhões de quilómetros por hora. 

Justificando a relevância da  descoberta, David Sobral disse que, ao contrário do que se pensava, "que as galáxias em enxames estão sempre mortas", a colisão de "grandes enxames pode fazê-las voltar à vida", tendo os 'tsunamis cósmicos' um papel fundamental neste processo.

Contudo, ao serem ressuscitadas, adiantou, as galáxias acabam, após milhares de milhões de anos, por "se matar a elas próprias", ao gastarem "o pouco combustível que lhes resta", e também "devido a muitas estrelas que explodem como supernovas" e expulsam "muito do gás que se perde igualmente no enxame, e já não volta".

Segundo o astrónomo, o processo causado pela onda de choque gigantesca "pode, até, ser uma das causas de as galáxias em enxames acabarem por ser tão vermelhas e estar mortas".

Os enxames de galáxias são "cidades" de galáxias, em que milhares destas podem coexistir num espaço relativamente "pequeno", descreve o IA em comunicado.

Contudo, nos enxames, a maioria das galáxias está morta, uma vez que "tem uma evolução muito acelerada, desde muito cedo, formando estrelas e consumindo o gás a uma taxa insustentável", esclareceu David Sobral à Lusa.

Ao passar pelas "cidades de galáxias" quando se fundem, a onda de choque "comprime qualquer gás que as galáxias tenham", referiu, sublinhando que é graças a esse gás comprimido, e à turbulência, que se formam mais estrelas.

"O que vemos é que, depois da passagem da onda, as galáxias começam todas a formar imensas estrelas", afirmou.

A equipa liderada por David Sobral, e também por Andra Stroe, do Observatório de Leiden, na Holanda, socorreu-se de dados dos telescópios Isaac Newton e William Herschel, dos Observatórios das Canárias, em Espanha, e dos telescópios Subaru e Keck, no Havai, Estados Unidos.

O grupo está agora a fazer um levantamento de vários enxames gigantes de galáxias em colisão para perceber se o mesmo fenómeno ocorre em todos ou se, em alguns, a onda de choque pode ter um efeito menos acentuado.

Os resultados da investigação foram hoje publicados na revista Monthly Notices, da Royal Astronomical Society, organização centenária britânica que apoia a investigação em astronomia.

ER //GC

Lusa/Fim



NewsSubjects:- Ciência e tecnologia - Sociedade - Instituições científicas - Investigação científica 

20150424T060100
  • Mais de um milhão de crianças em risco de morrer à fome
    1:23

    Mundo

    Cerca de 1.4 milhões de crianças estão em risco iminente de morrer à fome. Deste modo, a UNICEF faz um apelo urgente de cerca de 230 milhões de euros para levar nos próximos meses comida, água e serviços médicos a estas crianças. As imagens desta reportagem podem impressionar os espectadores mais sensíveis.

  • Morreu o companheiro de Nelson Mandela

    Mundo

    Ahmed Kathrada, activista e ícone sul-africano que lutou ao lado de Mandela contra o "apartheid" morreu hoje aos 87 anos, informou a fundação de caridade Kathrada.

  • Vídeo amador mostra destruição na Síria
    1:04

    Mundo

    A guerra na Síria continua a fazer vítimas mortais. Um vídeo amador divulgado esta segunda-feira mostra o estado de uma localidade a este de Damasco, depois de um ataque aéreo no fim-de-semana. No ataque, 16 pessoas morreram e há várias dezenas de feridos.

  • Partidos querem eleições a 1 de outubro
    1:35
  • Identificadas 10 mil vítimas de violência em 2016
    1:32
  • Homem que esfaqueou mulher em Esmoriz é acusado de homicídio qualificado
    1:24

    País

    O homem que no sábado esfaqueou a mulher em Esmoriz está acusado de homicídio qualificado. O arguido de 50 anos foi ouvido esta segunda-feira pelo juiz de instrução e ficou em prisão preventiva, uma medida fundamentada pelo perigo de fuga e de alarme. O homem remeteu-se ao silêncio durante o interrogatório, no Tribunal de Aveiro.

  • Homem condenado a oito anos e meio por abuso sexual da mãe
    1:10

    País

    O Tribunal de Coimbra condenou esta segunda-feira um homem de 53 anos a oito anos e meio de prisão por abuso sexual da mãe e ainda por crimes de roubo e coação. A mãe, de 70 anos, sofria de problemas nervosos e consumia bebidas alcoólicas com frequência, tendo sido vítima de abuso sexual por parte do filho enquanto dormia. Os crimes cometidos remetem para o início de 2016, depois do homem já ter cumprido outras penas de prisão em Espanha.

  • Jovem de 21 anos morre colhida por comboio na linha da Beira Baixa
    0:43

    País

    Uma jovem de 21 anos morreu esta segunda-feira ao ser atropelada pelo comboio Intercidades à saída da estação de Castelo Branco, na linha da Beira Baixa. A vítima foi colhida pelo comboio que seguia no sentido Lisboa-Covilhã ao atravessar a linha de caminho de ferro. Este é um local onde não existe passagem de nível, mas habitualmente muitas pessoas arriscam fazer a travessia da linha.

  • Banco do Metro com pénis gera polémica no México

    Mundo

    Um banco em formato de homem com o pénis exposto, numa das carruagens de Metro da Cidade do México, está a gerar polémica. A iniciativa integra uma campanha contra o assédio sexual de que as mulheres são vítima no país.