sicnot

Perfil

Mundo

ONU defende participação do Irão em novas conversações sobre a Síria

 O enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, defendeu, esta quinta-feira, a participação do Irão nas novas conversações, a iniciar em maio, com vista a uma solução pacífica para o conflito na Síria.

© Darren Whiteside / Reuters

"O Irão é um Estado-membro da ONU, é um grande ator na região e tem influência na Síria", afirmou De Mistura, em conferência de imprensa, apontando que as Nações Unidas têm "o direito de convidar todos, incluindo o Irão, para o diálogo sobre a Síria"

A presença do Irão, aliado do regime do Presidente sírio Bashar al-Assad, foi sempre alvo de polémica, tendo o país sido excluído de duas conferências internacionais sobre o conflito.

O diplomata italiano, que se reuniu à porta fechada com os 15 membros do Conselho de Segurança das Nações Unidas, disse esperar ter uma análise sobre os eventuais pontos de convergência entre as partes do conflito em finais de junho, embora antecipe como baixa a possibilidade de a próxima ronda de negociações entre as partes do conflito ser bem-sucedida.

O mediador da ONU para a Síria confirmou que vai realizar "consultas separadas" com as partes em maio para sondar as posições do regime sírio, da oposição e de grupos civis, no sentido de apurar se estão prontos para negociações com base no acordo de Genebra.

Ahmad Fawzi, porta-voz da ONU, informou anteriormente que a nova ronda se inicia a 04 de maio, prevendo-se que as consultas durem entre quatro e seis semanas.

De Mistura reconheceu que "as probabilidades e as condições para lançar uma transição política não são melhores do que há seis meses" e que o regime de Damasco e as forças da oposição não têm demonstrado "muita vontade de negociar".

Contudo, "a ONU permanece convencida acerca da necessidade de reavivar uma solução política", disse, de acordo com diplomatas.

Segundo o enviado especial da ONU, apesar de não haver sinais de que o processo venha a ter êxito, a comunidade internacional tem obrigação de voltar a tentar.

"Não podemos simplesmente esperar", insistiu, apontando para as graves consequências para a população que o conflito tem, um aspeto abordado também pelo Conselho de Segurança da ONU numa reunião prévia. 

A guerra na Síria já matou mais de 220 mil pessoas desde o início da revolta contra o regime de Bashar Al-Assad, em março de 2011, segundo dados divulgados na semana passada pela organização Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

  • Assalto à base militar de Tancos
    0:42

    País

    Várias granadas e munições foram roubadas dos paióis da base militar de Tancos. A Polícia Judiciária Militar já está a investigar.

  • ASAE apreende leite com água oxigenada para fabrico de queijo

    Economia

    A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) apreendeu leite com água oxigenada, destinado ao fabrico de queijo. As investigações decorreram nos últimos dois meses e foram dirigidas a vários produtores de leite. As investigações iniciaram-se com a deteção de uma viatura para transporte do leite sem qualquer sistema de refrigeração.

  • Ronaldo dispensado da seleção para ir conhecer os filhos

    Taça das Confederações

    A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) informou em comunicado que Cristiano Ronaldo foi dispensado da Taça das Confederações "para que possa conhecer os seus filhos". Numa mensagem no Facebook, o jogador mostrou-se sensibilizado com a decisão da Federação, acrescentando ainda que está "muito feliz por poder, finalmente, estar com os (...) filhos pela primeira vez".

  • Crise na Venezuela faz aumentar casos de desnutrição infantil
    2:13
  • Mulher mata namorado em brincadeira com arma no Youtube

    Mundo

    Uma mulher do Minnesota, nos EUA, está a ser acusada de disparar mortalmente sobre o namorado quando ambos faziam um vídeo para publicar no Youtube. Monaliza Perez, de 20 anos, foi detida depois de disparar sobre Pedro Ruiz, que segurava um livro junto ao seu peito, confiante que seria o suficiente para parar a bala.

  • Comissão Europeia adota plano contra resistência a antibióticos

    Mundo

    A Comissão Europeia adotou, hoje, um plano para combater a resistência aos antibióticos, uma ameaça que mata anualmente 25 mil pessoas na União Europeia (UE) e custa 1,5 mil milhões de euros. Em paralelo ao plano, apresenta ainda regras para um "uso prudente de antibióticos".

  • Comprar ou arrendar casa?
    8:25