sicnot

Perfil

Mundo

Pelo menos 27 pessoas morreram durante confrontos no Iémen

Pelo menos 27 pessoas morreram no sul do Iémen durante os combates entre os rebeldes xiitas e os aliados do Presidente no exílio Abd Raboo Mansur Hadi, afirmaram os responsáveis do governo local.

© Stringer Shanghai / Reuters

Os confrontos começaram na madrugada de hoje, nas cidades de Dhaleh e Loder, segundo as mesmas fontes.

Pelo menos quatro combatentes pró-Hadi e seis rebeldes huthi foram mortos em confrontos durante a madrugada na cidade de Daleh, ao norte da cidade de Aden, informou um militar. Outros oito rebeldes foram mortos numa emboscada.

Mais a leste, em Loder, milícias leais ao Governo mataram nove rebeldes num ataque com granadas lançadas por foguetes, segundo um funcionário do Governo na cidade.

Também houve confrontos pesados em Aden, com aviões de guerra da Arábia Saudita a atacar as posições rebeldes, apesar do anúncio da coligação, na terça-feira, de que tinham terminado os ataques aéreos.

Os alvos incluíam o palácio presidencial, agora controlado pelos rebeldes.

Os rebeldes xiitas huthis tomaram Sana, a capital do país, em janeiro, antes de avançar para o sul.

Uma resolução do Conselho de Segurança da ONU adotada em 15 de abril pressiona os huthis a negociarem e a retirarem-se dos territórios que conquistaram, impondo-lhes ainda um embargo de armas. 

Uma coligação liderada pela Arábia Saudita está a promover ataques aéreos contra os rebeldes desde 26 de março.


  • Parabéns! Portugal faz hoje 839 anos

    País

    É dia de cantar os parabéns. Portugal celebra esta quarta-feira 839 anos, depois de a 23 de maio de 1179 o Papa Alexandre III ter emitido a bula "Manifestis Probatum" onde reconhece o território como reino independente.

    SIC

  • Cachalote-pigmeu morreu pouco tempo depois de dar à costa em Lisboa
    1:13
  • Presidente da República apoia reforma "quanto antes" do Tribunal de Contas
    1:13

    País

    O Presidente da República defendeu esta manhã uma reforma do Tribunal de Contas para que se adeque a lei que prevê o controlo das entidades públicas. Para Marcelo Rebelo de Sousa, se a lei der melhores meios de controlo e for de mais rápida aplicação, vai dissuadir casos de má gestão de dinheiros públicos que acabam por resultar em crimes.

  • PSD compara SNS a um "cenário de guerra", Centeno desdramatiza
    2:44

    Economia

    O ministro das Finanças esteve esta amanhã no Parlamento e voltou a não comprometer-se com aumentos salariais na função pública no próximo ano. Deu mesmo a entender que a medida não é prioritária. A discussão passou também pelo Serviço Nacional de Saúde. Centeno desdramatizou as carências mas o PSD comparou o que s passa a um cenário de guerra.