sicnot

Perfil

Mundo

Obama satiriza rivais e aliados políticos em jantar de correspondentes da Casa Branca

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, fez um discurso cheio de humor no tradicional jantar de correspondentes da Casa Branca, o penúltimo do seu mandato, fazendo piadas tanto com aliados e como com rivais políticos.

© Jonathan Ernst / Reuters

No sábado à noite, Obama recebeu os jornalistas que asseguram a cobertura informativa da Casa Branca, um encontro que se realiza anualmente, e, com a corrida para as presidenciais do próximo ano já em curso, o presidente norte-americano atirou em várias direções.

"Ted Cruz disse que negar a existência das alterações climáticas fê-lo como Galileu", referindo-se a um dos candidatos que disputam a nomeação dos republicanos para as eleições presidenciais.

"Na verdade, essa não é uma comparação com sentido: Galileu acreditava que a Terra gira à volta do sol. Ted Cruz acredita que gira à volta de Ted Cruz", lançou.

Mas, as piadas de Obama não foram exclusivamente direcionadas para os adversários políticos: Hillary Clinton, que Obama derrotou nas primárias do Partido Democrático em 2008 e que depois se juntou à sua equipa governativa, foi satirizada pela forma como começou a sua campanha.

Destacando que a economia está difícil, Barack Obama disse: "Tenho uma amiga que há poucas semanas estava a fazer milhões de dólares por ano e agora está a viver numa carrinha no Iowa", afirmou o presidente dos Estados Unidos.

Hillary Clinton lançou a sua campanha às presidenciais de 2016 a viajar numa carrinha pelo Iowa.


Lusa
  • Marine devolve bandeira do Japão 73 anos depois 
    2:13

    Mundo

    Setenta e três anos depois da batalha mais sangrenta do Pacífico, um veterano dos Estados Unidos cumpriu uma promessa pessoal. Marvin Strombo devolveu à família a bandeira da sorte de um soldado japonês, morto em 1944, em Saipan, na II Guerra Mundial. 

  • Autoridades usam elefantes para resgatar pessoas das cheias na Ásia
    1:31

    Mundo

    Mais de 215 pessoas morreram nas inundações que estão a devastar o centro da Ásia, e estima-se que três milhões tiveram de abandonar as casas. As autoridades estão a usar elefantes para resgatar locais e turistas das zonas mais afetadas e avisam que há dezenas de pessoas desaparecidas.