sicnot

Perfil

Mundo

Usar a força não resolve problema dos imigrantes na Europa, diz Ban Ki-moon

O secretário-geral das Nações Unidas considerou hoje em entrevista ao jornal italiano 'La Stampa' que o uso da força não é solução para lidar com a tragédia dos imigrantes que tentam alcançar a Europa por via marítima.

© Darrin Zammit Lupi / Reuters

"Não há solução militar para a tragédia que está a acontecer no Mediterrâneo", disse Ban Ki-moon na entrevista, na qual expressou uma preferência por incentivos à imigração legal como uma solução global.

"É fundamental uma abordagem abrangente e que aborde as raízes do problema, a segurança e os direitos humanos dos migrantes e refugiados, assim como os canais regulares e legais de imigração", acrescentou o secretário-geral da ONU, citado pela AFP, acrescentando que o organismo "está pronto para trabalhar com os parceiros europeus nesse sentido".

A situação trágica no Mediterrâneo, com a morte de 800 imigrantes no passado dia 19, levou os líderes da União Europeia (UE) a adotarem quinta-feira medidas de combate ao tráfico de imigrantes ilegais ainda em terra.

Entre as decisões saídas do Conselho Europeu figura a destruição das embarcações antes que os contrabandistas as possam utilizar, o aumento da cooperação contra redes de contrabando, através da Europol e colocando agentes de imigração em países terceiros e aumentar para 120 milhões de euros o orçamento da missão "Tritão", para operações de patrulhamento e salvamento no Mediterrâneo.

"As medidas anunciadas recentemente no Luxemburgo e em Bruxelas são um primeiro passo importante no sentido de uma acção colectiva europeia, que é a única abordagem que pode resolver um problema desta natureza, tão amplo e transnacional", disse Ban Ki-moon, que é esperado na segunda-feira em Itália.

O líder italiano, Matteo Renzi, o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, e a Alta Representante da União Europeia para Política Externa e Segurança, Federica Mogherini, participarão juntos numa iniciativa pública no Mediterrâneo para mostrar a sua "solidariedade" após as recentes tragédias de imigração.


  • Portugal vai reforçar operações de patrulha do Mediterrâneo
    1:58

    País

    Os líderes da União Europeia aprovaram o reforço de meios de controlo e patrulhamento do Mediterrâneo. No final do conselho europeu extraordinário em que os líderes dos 28 discutiram um plano de ação para travar o fluxo de imigração ilegal, o primeiro-ministro, Passos Coelho, disse que Portugal vai também ter uma maior participação nas operações, no quadro da Frontex e com financiamento da União Europeia.

  • Milhares de pessoas marcharam em Genebra para lembrar vítimas do Mediterrâneo

    Crise Migratória na Europa

    Milhares de pessoas desfilaram hoje pelas ruas de Genebra, na Suíça, para homenagear os milhares de imigrantes mortos às portas da Europa. Milhares de pessoas em silêncio, muitas em lágrimas para exigir uma resposta das autoridades à crise que se vive no Mediterrâneo onde milhares de imigrantes arriscam a vida para fugir à guerra, à fome e às más condições de vida. É precisamente em Genebra que fica a sede das Nações Unidas na Europa e a organização internacional para as migrações que já veio alertar para a possibilidade do número de vítimas no Mediterrâneo possa chegar aos 30 mil este ano, 10 vezes mais que no ano passado. Debaixo de forte contestação e depois do naufrágio de um navio, ao largo da Líbia que matou mais de setecentas pessoas, a União Europeia anunciou que vai triplicar a frota naval no Mediterrâneo recuperando o orçamento que tinha no ano passado, antes de suspender a operação Mare Nostrum ao largo da costa do sul da Europa.

  • "Almaraz: Uma bomba-relógio aqui ao lado"
    1:56
  • S. João do Porto sem balões
    2:36

    País

    No Porto, milhares de pessoas foram para a rua festejar o São João. Este ano houve tolerância zero no lançamento de balões, por causa do risco de incêndio. O fogo de artifício começou com mais de 15 minutos de atraso.

  • Mais de 100 detidos pela PSP e GNR nas últimas 24 horas

    País

    Só a GNR deteve 64 pessoas em flagrante delito, entre a noite de sexta-feira e o início da manhã deste sábado, a maioria das quais (47) por condução sob o efeito do álcool. A PSP de Lisboa efetuou 41 detenções em 24 horas, dez por tráfico de droga.

  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.