sicnot

Perfil

Mundo

Multidão homenageia em Barcelona mortos no desastre aéreo da Germanwings

Uma multidão de quase 1500 pessoas assistiu hoje à cerimónia fúnebre celebrada na Sagrada Família, em Barcelona, para prestar homenagem às 150 vítimas do despenhamento do avião da Germanwings, a 24 de março nos Alpes franceses.

© Gustau Nacarino / Reuters

Ao funeral, oficiado pelo arcebispo-cardeal de Barcelona, Lluís Martínez Sistach, assistiram, os reis de Espanha, o primeiro-ministro, Mariano Rajoy, e o presidente da Generalitat, Artur Mas, acompanhados das respetivas mulheres, além dos presidentes de outras regiões autónomas espanholas e dos presidentes do Congresso, do Senado e do Tribunal Constitucional.

Cerca de 600 familiares das 52 vítimas que residiam em Espanha, a maioria na Catalunha, assistiram à cerimónia, bem como os alunos do Instituto Giola de Llinars del Vallès (Barcelona), onde esteve um grupo de estudantes alemães de Haltern am See que morreram quando regressavam a casa após o intercâmbio escolar.

Os alunos levaram 150 velas, uma por cada vítima, que depositaram na escadaria do altar da basílica da Sagrada Família.

Na cerimónia, em que foram faladas cinco línguas -- catalão, castelhano, francês, alemão e inglês --, além de um cântico em grego, estiveram também presentes, em representação da Alemanha, a vice-presidente da Renânia Norte-Vestefália, Sylvia Löhrmann, e o ministro federal dos Assuntos Especiais alemão, Peter Altmaier.

O procurador-geral de Marselha, França, e muitos embaixadores, de Reino Unido, Estados Unidos, França, Alemanha, Dinamarca, Holanda, Cazaquistão, Bélgica, Japão, Chile, México e Colômbia, bem como elementos das equipas de emergência e da polícia encontravam-se igualmente entre a assistência, tal como o presidente da Lufthansa, Carsten Sphor, e o diretor-geral da Germanwings, Thomas Winkelmann.

Ao fim de mais de uma hora de homilia e cânticos, a cerimónia terminou com a intervenção dos representantes das comunidades evangélica, judaica e muçulmana da Catalunha, que transmitiram o seu pesar às famílias das vítimas.

Os reis de Espanha, Felipe VI e Letícia, cumprimentaram um por um os 600 familiares presentes, detendo-se especialmente junto dos mais emocionados, com quem conversaram, tentando transmitir-lhes a sua solidariedade.







Lusa
  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • Derrocada de muro em Lisboa obriga à retirada de 40 pessoas de 5 prédios
    2:14

    País

    Os moradores de três prédios de Lisboa não podem regressar tão cedo a casa. Durante a madrugada, a derrocada de um muro obrigou à retirada de 40 pessoas de cinco edifícios. Um dos inquilinos sofreu ferimentos ligeiros. Entretanto, a maioria dos residentes já foi realojada em casas de familiares e num hotel.

  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22

    País

    Num momento em que por cá se fala de claustrofobia democrática, a Europa e os Estados Unidos desdobram-se em elogios ao sucesso da maioria de Esquerda em Portugal. A palavra "geringonça" já tem até tradução em várias línguas.

  • ONU estima que mais 750 mil civis estejam em risco na cidade de Mossul
    1:39

    Mundo

    As Nações Unidas estimam que mais 750 mil civis estejam em risco na zona ocidental de Mossul, no Iraque. Mais de 10 mil pessoas fugiram da zona ocidental da cidade nos últimos quatro dias. Enquanto a população tenta escapar ao fogo cruzado, as forças iraquianas avançam sobre a cidade ainda controlada pelo Daesh.