sicnot

Perfil

Mundo

Ambiente domina encontro entre Papa e secretário-geral da ONU

O Papa Francisco recebeu hoje o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, à margem de um colóquio científico sobre proteção ambiental organizado no Vaticano, anunciou o serviço de imprensa.  

AP

Ban Ki-moon e o Papa reuniram-se em privado "durante meia hora", antes do início do colóquio, disse Ciro Benedettini, vice-diretor da sala de imprensa do Vaticano, sem precisar os temas abordados. 

"O Papa Francisco e eu acabámos de ter uma conversa muito longa e frutuosa", afirmou Ban na abertura do colóquio "Proteger o planeta, tornar digna a humanidade", organizado pela Academia Pontifícia das Ciências.  

"Espero com impaciência a encíclica do Papa Francisco", acrescentou o secretário-geral da ONU, numa referência à encíclica sobre a ecologia humana que o papa deve publicar em junho ou julho. 

"A ciência e a religião não têm posições opostas sobre as alterações climáticas", disse, congratulando-se com os esforços do Papa e da Igreja Católica para "chamar a atenção para a necessidade urgente de promover um desenvolvimento sustentável". 

Em relação à conferência sobre o clima, prevista em dezembro na capital de França, Ban considerou que "Paris não é um ponto final, mas deve ser um ponto de viragem para encontrar uma via comum de resposta ao desafio que é o clima". 

Ban defendeu que "atenuar as alterações climáticas e adaptar-se aos efeitos é necessário para erradicar a pobreza extrema, reduzir a desigualdade e garantir um desenvolvimento económico justo e sustentável". 

"As alterações climáticas estão intrinsecamente ligadas à saúde pública, à segurança da água e dos alimentos, aos movimentos migratórios e à paz e à segurança. É uma questão moral (...) de justiça social, direitos humanos e ética fundamental", sublinhou Ban. 

O secretário-geral das Nações Unidas considerou que "as alterações climáticas estão a ocorrer agora", afetando especialmente os mais pobres, e as atividades humanas "são a principal causa".

"Somos a primeira geração que pode acabar com a por acabar e a última geração que pode recear os piores impactos das alterações climáticas", concluiu Ban Ki-moon. 

Na segunda-feira, o secretário-geral da ONU encontrou-se com o primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, e com a chefe da diplomacia da UE, Federica Mogherini, para manifestar a vontade comum de pôr fim ao drama da imigração clandestina, uma semana depois do mais grave naufrágio no mar Mediterrâneo. 

Perante a multiplicação destas tragédias, o papa tinha pedido à comunidade internacional para "atuar com rapidez". 


Lusa
  • Descobertos fósseis que podem provar existência de vida em Marte

    Mundo

    Fósseis com 3,77 mil milhões de anos, dos mais antigos já descobertos, foram identificados por cientistas de vários países na província do Quebec, no leste do Canadá. As descobertas coincidem no tempo com a altura em que Marte e a Terra tinham água líquida à superfície, o que levanta questões sobre a hipótese de vida extraterrestre.

  • As polémicas declarações de João Braga sobre os Óscares

    País

    A Associação SOS Racismo reagiu esta quarta-feira às palavras do fadista João Braga na sua página no Facebook, sobre a cerimónia de entrega dos Óscares, e disse esperar que a Comissão para a Igualdade e Contra a Discriminação Racial atue de forma exemplar face.

  • "Apelamos ao debate e somos criticados? Então m...."
    0:52
  • Oprah admite candidatar-se à Presidência dos EUA

    Mundo

    A apresentadora norte-americana Oprah Winfrey admitiu, numa entrevista, que a vitória de Donald Trump nas eleições presidenciais de novembro a fez considerar a possibilidade de entrar na corrida à Casa Branca.

  • Temperaturas recorde no "último lugar da Terra"

    Mundo

    A Organização Meteorológica Mundial (OMM) anunciou esta quarta-feira que se registaram nos últimos 37 anos temperaturas altas recorde na Antártida, num local que foi descrito como "o último lugar da Terra".