sicnot

Perfil

Mundo

Incêndio florestal avança em direção à central nuclear de Chernobil

Um incendio numa zona florestal do norte da Ucrânia está a avançar em direção à central nuclear de Chernobil, cenário da maior catástrofe nuclear da história, informou hoje o ministério do Interior ucraniano.  

© Valentyn Ogirenko / Reuters

"A situação com o incêndio florestal em torno da central de Chernobil agravou-se. As chamas atacam de novo a zona arborizada em direção à central nuclear", referiu na sua página do Facebook o ministro do Interior Arsen Avakov.  

O mesmo responsável explicou que as fortes rajadas de vento criaram uma ameaça de propagação do fogo numa zona situada a 20 quilómetros da central".  

"O fogo cobre uma superfície de 400 hectares de floresta. A Guarda nacional e unidades do ministério do Interior estão em estado de alerta", precisou.   

O primeiro-ministro, Arseniy Yatsenyuk, convocou os responsáveis pelas situações de emergência, dois dias após o 29.º aniversário do acidente com o quarto reator da central de Chernobil, que se assinalou no domingo.  

Antes, o ministro para as situações de emergência, Zorian Shkiriak, tinha assegurado que o incêndio não ameaçava Chernobil nem provocaria o aumento dos níveis de radiação na zona, ao garantir que o fogo tinha sido contido.  

Cerca de 200 pessoas estavam envolvidas no combate ao incêndio e dispunham de 30 camiões cisterna, helicópteros e aviões. 

No domingo, o Presidente ucraniano Petro Poroshenko apelou à ajuda internacional para impedir que uma repetição da catástrofe de Chernobil, uma central nuclear situada perto da fronteira com a Bielorrússia. 

Duas pessoas morreram diretamente devido à explosão do reator em 26 de abril de 1986 e outras 29, na maioria bombeiros, nos três meses seguintes, devido à radiação. 

Cerca de 600.000 pessoas que participaram nos trabalhos de reparações e de descontaminação receberam doses de radiação nocivas para a saúde. 


Lusa
  • NATO retoma diálogo com a Rússia

    Mundo

    O Conselho da NATO - Rússia foi instituído em 2002 e decorreu sem interrupções até à anexação da Crimeia, em 2014. O conflito separatista na Ucrânia dividiu a Aliança Atlântica e Moscovo e suspendeu toda a colaboração prática - desde civil a militar. Agora e na véspera da primeira reunião ministerial em Bruxelas com o estreante secretário de Estado americano Rex Tillerson, os países da NATO tentam a aproximação formal e reativação do diálogo político com Moscovo.

  • O poder da linguagem corporal nos tribunais
    9:12

    País

    Rui Mergulhão Mendes, especialista em 'profiling' na Emotional Business Academy, em Lisboa, esteve na Edição da Noite desta quarta-feira para explicar como é que um especialista em linguagem pode ajudar um tribunal a dar um veredito.