sicnot

Perfil

Mundo

Incêndio florestal avança em direção à central nuclear de Chernobil

Um incendio numa zona florestal do norte da Ucrânia está a avançar em direção à central nuclear de Chernobil, cenário da maior catástrofe nuclear da história, informou hoje o ministério do Interior ucraniano.  

© Valentyn Ogirenko / Reuters

"A situação com o incêndio florestal em torno da central de Chernobil agravou-se. As chamas atacam de novo a zona arborizada em direção à central nuclear", referiu na sua página do Facebook o ministro do Interior Arsen Avakov.  

O mesmo responsável explicou que as fortes rajadas de vento criaram uma ameaça de propagação do fogo numa zona situada a 20 quilómetros da central".  

"O fogo cobre uma superfície de 400 hectares de floresta. A Guarda nacional e unidades do ministério do Interior estão em estado de alerta", precisou.   

O primeiro-ministro, Arseniy Yatsenyuk, convocou os responsáveis pelas situações de emergência, dois dias após o 29.º aniversário do acidente com o quarto reator da central de Chernobil, que se assinalou no domingo.  

Antes, o ministro para as situações de emergência, Zorian Shkiriak, tinha assegurado que o incêndio não ameaçava Chernobil nem provocaria o aumento dos níveis de radiação na zona, ao garantir que o fogo tinha sido contido.  

Cerca de 200 pessoas estavam envolvidas no combate ao incêndio e dispunham de 30 camiões cisterna, helicópteros e aviões. 

No domingo, o Presidente ucraniano Petro Poroshenko apelou à ajuda internacional para impedir que uma repetição da catástrofe de Chernobil, uma central nuclear situada perto da fronteira com a Bielorrússia. 

Duas pessoas morreram diretamente devido à explosão do reator em 26 de abril de 1986 e outras 29, na maioria bombeiros, nos três meses seguintes, devido à radiação. 

Cerca de 600.000 pessoas que participaram nos trabalhos de reparações e de descontaminação receberam doses de radiação nocivas para a saúde. 


Lusa
  • Drone inglês evita execução do Daesh na Síria
    2:08

    Mundo

    A Força Aérea britânica divulgou esta terça-feira um vídeo que mostra um drone a parar uma execução pública que estaria prestes a acontecer às mãos do Daesh, na Síria. As imagens, apesar de cortadas pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, mostram várias pessoas na rua, uma explosão e, depois, a fuga.

  • Atrás das Câmaras em Fátima
    2:48
  • Como fazer negócios no mercado dos leilões
    7:15
  • PS quer reconquistar poder em Vila Viçosa
    2:06

    Autárquicas 2017

    Ana Catarina Mendes insistiu na ideia de que o PSD escolheu um modo perigoso de fazer campanha, ao insistir nas críticas à lei da imigração. Ana Catarina Mendes, secretária-geral adjunta do PS, esteve esta quarta-feira em campanha no distrito de Évora.

  • Troca de argumentos entre Medina e Cristas marca campanha em Lisboa
    2:34

    Autárquicas 2017

    Esta quarta-feira o dia de campanha em Lisboa ficou marcado por uma troca de argumentos entre Fernando Medina e Assunção Cristas. O atual presidente da Câmara acusa a candidata do CDS de não respeitar os lisboetas por admitir que pode não exercer o cargo de vereadora até ao fim do mandato. Já Assunção Cristas garante que se for eleita cumpre o mandato até ao fim.

  • "Não toleramos ameaças de ninguém"
    2:13
  • Número de tartarugas marinhas está a aumentar

    Mundo

    O número de tartarugas marinhas está a crescer, levando investigadores a considerar que os esforços para salvar estes animais são uma "história de sucesso da conservação global", indica um estudo divulgado esta quarta-feira.

  • Tubarões vivem mais tempo do que se pensava

    Mundo

    Uma revisão de dados sobre avaliação da idade dos tubarões revela que muitas espécies têm maior longevidade do que se pensava, o que poderá obrigar a uma revisão dos planos de conservação das mais ameaçadas.

  • Como mudar um templo com 135 anos e 2 mil toneladas... de lugar

    Mundo

    Um templo budista do século XIX é um dos mais populares em Xangai, na China. Visitado diariamente por milhares de pessoas, precisava de ser relocalizado para evitar que uma tragédia acontecesse. E mesmo pesando cerca de duas mil toneladas, a missão acabou por se provar possível.

  • Casal morre com horas de diferença depois de 75 anos de casamento

    Mundo

    George e Jean Spear morreram no passado dia 15 de setembro, no hospital de Queensway Carleton, em Ottawa (Canadá), depois de terem celebrado 75 anos de casamento em agosto. A britânica de 94 anos conheceu o candaniano em 1941, num salão de bailes, em Londres. George Spear servia as Forças Armadas durante a Segunda Guerra Mundial.

    SIC