sicnot

Perfil

Mundo

Indonésia executa oito condenados por tráfico de droga, incluindo cidadão brasileiro

A Indonésia executou hoje (madrugada de quarta-feira na Indonésia) por fuzilamento oito condenados à morte por tráfico de droga, sete dos quais estrangeiros, incluindo o cidadão brasileiro Rodrigo Gularte, noticiou a imprensa local. 

Prima de Rodrigo Gularte, o cidadão brasileiro executado.

Prima de Rodrigo Gularte, o cidadão brasileiro executado.

Reuters

Uma mulher filipina, Mary Jane Veloso, que constava da lista de condenados a executar viu a sua execução suspensa no último momento.  

Para além de Gularte, foram executados dois australianos, quatro nigerianos e um indonésio. 

De acordo com o diário Jakarta Post e estações de televisão indonésias, os condenados foram executados na noite de hoje na ilha-prisão de segurança máxima de Nusakambangan, 830 quilómetros a sudeste de Jacarta. 

Todos os pedidos de clemência do governo do Brasil e os recursos apresentados à justiça a favor de Rodrigo Gularte foram rejeitados pelas autoridades indonésias. 

O brasileiro, preso em 2004 com seis quilos de cocaína escondidos em pranchas de surf, foi condenado à morte em 2005.

O governo brasileiro pediu novamente, no domingo, que o brasileiro não fosse morto, pois sofreria de esquizofrenia, pelo que deveria ser transferido para um hospital para receber tratamento psiquiátrico. 

A família deste brasileiro de 42 anos, originário do Paraná (sul do Brasil), apresentou às autoridades indonésias vários relatórios de médicos atestando que Rodrigo é esquizofrénico.

Um cidadão francês, Serge Atlaoui, estava também incluído na lista dos condenados a serem executados hoje, mas foi retirado dessa lista no sábado, pois teria ainda um recurso pendente na justiça indonésia e o governo francês exerceu também muita pressão sobre a Indonésia neste caso.

O secretário-geral da ONU pediu, no domingo, para o Governo indonésio não executar estas nove pessoas, reiterando a tradicional oposição à pena capital.

A legislação antidroga na Indonésia é considerada como uma das mais severas a nível mundial. Em 2014, o Presidente indonésio, Joko Widodo, que termina as funções em outubro, rejeitou todos os pedidos de clemência apresentados pelos condenados à pena capital por tráfico de droga.

Em janeiro, a Indonésia executou seis traficantes de droga, incluindo o brasileiro Marco Archer Cardoso Moreira, o que causou uma crise diplomática entre a Indonésia e o Brasil.


Lusa
  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Morreu Miguel Beleza

    País

    Miguel Beleza, economista e antigo ministro das Finanças, morreu esta quinta-feira de paragem cardio-respiratória aos 67 anos.

  • "Estamos a ficar sem espaço. Está na hora de explorar outros sistemas solares"

    Mundo

    O físico e cientista britânico Stephen Hawking revelou alguns dos seus desejos para um novo plano de expansão espacial. Hawking está em Trondheim, na Noruega, para participar no Starmus Festival que promove a cultura científica. E foi lá que o físico admitiu que a população mundial está a ficar sem espaço na Terra e que "os únicos lugares disponíveis para irmos estão noutros planetas, noutros universos".

    SIC

  • Não posso usar calções... visto saias

    Mundo

    Perante a proibição de usar calções no emprego, um grupo de motoristas franceses adotou uma nova moda para combater o calor. Os trabalhadores decidiram trocar as calças por saias, visto que a peça de roupa é permitida no uniforme da empresa para a qual trabalham.

  • De refugiada a modelo: a história de Mari Malek

    Mundo

    Mari Malek chegou aos Estados Unidos da América quando era ainda uma criança. Chegada do Sudão do Sul, a menina era uma refugiada à procura de um futuro melhor, num país que não era o seu. Agora, anos depois, Mari Malek é modelo, DJ e atriz, e vive em Nova Iorque. Fundou uma organização sediada no país onde nasceu voltada para as crianças que passam por dificuldade, como também ela passou.