sicnot

Perfil

Mundo

Mais de 50 desparecidos após deslizamento de terras no Afeganistão

Pelo menos 52 pessoas estão desaparecidas depois de um deslizamento de terras numa aldeia remota do Afeganistão, hoje, que destruiu uma centena de habitações, informaram as autoridades. 

Avalanchas em Março de 2015 nas montanhas do Afeganistão.

Avalanchas em Março de 2015 nas montanhas do Afeganistão.

© Omar Sobhani / Reuters

"As primeiras informações indicam que 100 casas foram destruídas pelo deslizamento de terras e que 52 pessoas estão desaparecidas", disse um porta-voz da polícia da província de Badakhshan (nordeste), Lal Mohammad Ahmadzai, citado pela agência France Presse.

O número de desaparecidos, presumivelmente mortos, foi confirmado pelo vice-governador da província, Gul Mohammad Beidar, que precisou tratar-se de 25 mulheres, 22 crianças e cinco homens.

"Pedimos ajuda a Cabul e disseram-nos que vão enviar dois helicópteros para ajudar nas operações de socorro", disse Beidar.

O deslizamento atingiu a aldeia de Geriy Bala, no distrito de Khahan, uma zona montanhosa próxima da fronteira com o Tajiquistão onde, devido à neve, muitas estradas estão normalmente cortadas durante seis meses do ano. 

Os deslizamentos de terras são frequentes no norte do Afeganistão na primavera. Em 2014, em maio, um deslizamento deixou soterrada uma aldeia da mesma província, fazendo 300 mortos.



Lusa
  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.