sicnot

Perfil

Mundo

Tráfico humano move 1.800 ME por ano na Ásia

O tráfico humano na Ásia gera cerca de 2.000 milhões de dólares (cerca de 1.800 milhões de euros) de lucro por ano para os grupos criminosos e provoca muitas mortes e abusos, segundo um relatório da ONU divulgado hoje. 

reuters

A Agência das Nações Unidas para as Drogas e Crime (UNODC) indicou em comunicado que o estudo analisa o tráfico de imigrantes em 28 estados desde o Médio Oriente até ao Pacífico, onde as máfias cobram até 50.000 dólares (45.900 euros) por pessoa. 

Segundo o relatório "Tráfico de imigrantes na Ásia: Tendências atuais e desafios", muitas pessoas buscam uma vida melhor por vezes em países tão distantes como a Austrália, Canadá ou Estados Unidos, mas acabam a ser vítimas dos traficantes. 

"O movimento de pessoas através das fronteiras na Ásia deve crescer rapidamente e para níveis sem precedentes, em parte devido às novas infraestruturas e à abertura das fronteiras", disse Jeremy Douglas, representante da UNODC para o leste asiático e Pacífico.

"Além disso, a produção de documentos fraudulentos é generalizada", acrescentou Jeremy Douglas.

O relatório recomenda a melhoria das bases de dados e o reforço dos meios e da legislação para combater o tráfico e proteger as vítimas.

Muitas vítimas do tráfico humano acabam em barcos de pesca nas águas do sudeste asiático, enquanto centenas morrem no mar a tentar fugir da Birmânia ou chegar às costas australianas, acrescenta a agência Efe. 


  • PSD está a "perder terreno" na escolha de candidato a Lisboa
    1:46

    País

    Quem o diz é Luís Marques Mendes: o PSD perde na demora da escolha de um candidato para a Câmara de Lisboa. O líder Passos Coelho rejeita apoiar a candidatura de Assunção Cristas e garante que o partido vai ter um candidato próprio. Segundo o comentador da SIC, o último convite foi dirigido a José Eduardo Moniz.

  • Trump não escreve todos os tweets, mas dita-os

    Mundo

    O Presidente eleito dos EUA não escreve todos os tweets que são publicados na sua conta desta rede social, mas dita-os aos seus funcionários. Numa entrevista a um ex-secretário de Estado britânico, Donald Trump explica como usa a sua conta e garante que depois de ser investido Presidente, vai continuar a usar o Twitter para defender-se da "imprensa desonesta".

  • Depressão pode ser mais prejudicial para o coração do que a hipertensão

    Mundo

    Um estudo recente estabelece uma nova ligação entre depressão e distúrbios cardíacos. De acordo com a investigação publicada na revista Atheroscleroses, o risco de vir a sofrer de uma doença cardíaca grave é quase tão elevado para os homens que sofram de depressão, do que para os que tenham colesterol elevado ou obesidade, e pode mesmo ser maior do que para os que sofram de hipertensão.